Há alturas em que eles ficam absolutamente irresistíveis. Ou porque adormeceram no nosso colo ou nos nossos braços, ou porque nos quiseram encher de beijos assim que chegámos a casa, ou simplesmente porque existem e nós somos mais felizes por isso. Os animais de estimação são como membros da família, e há momentos em que enchê-los de beijos parece tão natural como fazer-lhes uma festa.

Problema: não é. Tratar cães e gatos como pessoas e dar-lhes beijos e abraços pode ser fatal, garante um estudo, uma vez que eles podem transmitir-nos bactérias resistentes a medicamentos através da saliva. Até porque da mesma forma que os humanos tomam cada vez mais antibióticos, transformando bactérias até então inofensivas em superbactérias, o mesmo acontece no mundo animal.

Passamos a explicar melhor. Já em 2017 os veterinários tinham alertado para a venda sem receita de antibióticos para animais. A própria Ordem dos Médicos Veterinários denunciou o crescimento de casos de falsos profissionais que, sem o devido conhecimento, tratavam doenças indevidamente. Em entrevista à Lusa, Jorge Cid, bastonário dos médicos veterinários, falou mesmo em animais "encharcados em antibióticos", o que deve ser encarado como "uma luta de todos em prol da saúde pública”.

Estudo diz que os donos de cães são mais felizes do que os de gatos
Estudo diz que os donos de cães são mais felizes do que os de gatos
Ver artigo

O cenário não é muito diferente lá fora. Por isso mesmo, especialistas da Universidade Caledônia de Glasgow realizaram um estudo com 35 donos de animais, todos eles tratados com antibióticos. Os resultados foram publicados esta quarta-feira, 1 de maio.

"Esse contacto demasiado próximo pode colocar adultos, crianças e os próprios animais em risco, ao transferir bactérias que são resistentes aos antibióticos através da saliva", disse uma das investigadores, Adele Dickson, no estudo.

Não é preciso acabar com todo ou qualquer contacto entre donos e animais, mas há cuidados que são importantes. Dickson deixa algumas dicas.

  • Sempre que forem prescritos antibióticos, fale com o veterinário para ver se é possível encontrar outra solução;
  • Certifique-se de que os animais comem das suas próprias tigelas;
  • Evite beijar os animais de estimação na boca;
  • Não os deixe lamber a sua boca e nariz;
  • Lave as mãos depois de acariciar os animais.

"A maior mensagem deste estudo para os donos de animais é: pense duas vezes se o seu animal de estimação, você, os seus filhos ou outros membros da família precisam realmente de antibióticos. Muitos donos de animais disseram-nos que se sentiam responsáveis por cuidar e proteger os seus animais quando estes ficavam doentes, por isso pediam especificamente antibióticos para terem a certeza de que os estavam a ajudar. Na verdade, estão a fazer mais mal do que bem se esses não forem necessários."

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.