Não é a primeira vez que o rapper e produtor norte-americano aponta para a possibilidade de entrar na política. Só que desta vez é oficial: Kanye West, 43 anos, anunciou este sábado, 4 de julho, no Dia da Independência dos Estados Unidos, que é o novo candidato à presidência dos Estados Unidos.

West apoiou anteriormente o atual Presidente e candidato à reeleição, Donald Trump, mas agora é ele que quer ocupar esse lugar: "Devemos cumprir a promessa dos Estados Unidos confiando em Deus, unificando a nossa visão e construindo o nosso futuro. Vou concorrer à Presidência dos Estados Unidos", anunciou o 'rapper' na conta do Twitter, acrescentando uma marca à sua candidatura: #2020VISION.

Os comentários, como seria de esperar, não pararam de surgir e já ultrapassaram os 60 mil. Um dos primeiros foi de Elon Musk, o CEO da Tesla, que expressou o seu apoio à candidatura de West. Contudo, no que toca à política as opiniões são sempre divergentes, algo que se fez sentir também nos comentários. É o caso do youtuber Marques Brownlee que diz: "Acho que pode estar um pouco atrasado para esta eleição".

Outra das celebridades que também se manifestou foi o ator Eric Balfour através de um comentário onde manifesta alguma revolta: "Vocês acham que isto é tudo uma piada? Que potencialmente afastar votos do único candidato que pode derrotar Donald Trump é fofo ou engraçado? Este é o auge do privilégio, em última análise isto não vai magoá-lo, é rico o suficiente para sobreviver a mais quatro anos de Trump! Vá lá, porra!", diz.

Vem aí uma série da Netflix sobre o jogador que se ajoelhou em protesto contra o racismo nos EUA
Vem aí uma série da Netflix sobre o jogador que se ajoelhou em protesto contra o racismo nos EUA
Ver artigo

Além do que foi anunciado nas redes sociais, até ao momento a equipa do rapper e agora candidato à Casa Branca não deu mais detalhes.

No ano passado Kanye West negou durante entrevistas sobre o álbum "Jesus é rei" a intenção de apresentar uma candidatura à Presidência dos Estados Unidos, mas apontou que essa seria mais feita apenas em 2024. No entanto, não passou nem um ano para o músico e produtor mudar de ideias e decidir apressar essa vontade.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.