Contrariamente às suspeitas preliminares, a criança de 6 anos que deu entrada no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, no passado dia 16 de janeiro, com uma paragem cardiorrespiratória, não morreu por complicações relacionadas com a toma da vacina contra a COVID-19, revela autópsia divulgada esta terça-feira, 1 de fevereiro.

Esta informação é avançada pelo Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF), que revela "terem sido concluídos os exames complementares laboratoriais e ter sido enviado para o Ministério Público, na presente data, o relatório da autópsia realizada no dia 18 de janeiro à criança de 6 anos que deu entrada no Hospital de Santa Maria".

"Com o conhecimento e a anuência da Magistrada do Ministério Público titular do processo, informa-se que a morte da criança não foi devida à vacinação contra a COVID-19", lê-se no mesmo comunicado que garante que a informação já chegou à família da criança e nenhum outro dado clínico será revelado publicamente pelo Instituto de Medicina Legal, "em respeito pela família e pela reserva da intimidade da vida privada".

Recorde-se de que o caso foi noticiado a 17 de janeiro, um dia depois de a criança de 6 anos ter dado entrada no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. À data, o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte enviou um comunicado dando conta do óbito, no qual fazia referência a "um menino de 6 anos com teste positivo para SARS-Cov-2, que deu entrada no Hospital de Santa Maria no dia anterior com um quadro de paragem cardiorrespiratória".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.