Uma mulher entrou pela sala de aula de uma turma do ensino secundário e, depois de ter estado durante alguns segundos a gritar para os alunos, acabou mesmo por se dirigir a um deles e agredi-lo com chapadas e murros. O rapaz em causa, de nome Thiago, seria, de acordo com a mulher, o responsável por várias situações de bullying que o seu filho, Benjamin Segura, vinha a sofrer, a última das quais terá mesmo deixado o miúdo com várias marcas de agressões na cara. O caso aconteceu esta quarta-feira, 2 de novembro, numa escola da cidade General Roca, província de Rio Negro, na Argentina, e chegou mesmo às televisões nacionais, onde se iniciou uma discussão alargada sobre o fenómeno do bullying nas escolas.

Bullying. Intervenientes nas agressões a rapaz de 12 anos já foram identificados. MP abre inquérito
Bullying. Intervenientes nas agressões a rapaz de 12 anos já foram identificados. MP abre inquérito
Ver artigo

As agressões da mulher foram captadas por um telemóvel de um dos alunos, que filmou toda a cena. A mulher começou por entrar na sala, visivelmente exaltada, e começou a gritar com a turma. Disse estar farta que maltratem o seu filho, porque já tinham idade para se saber comportar. "Já só têm um ano para se formarem, seus desavergonhados", gritou. Avisou depois que já tinha alertado as autoridades e a direção da escola para a situação, mas que tardavam a dar-lhe uma resposta adequada. "Estou farta disto! Estou há 10 milhões de meses à espera", gritou para a turma. Depois, pediu ao filho para dizer quem tinha sido o responsável pelas agressões, mas antes de o rapaz responder, um outro aluno, de pé, no fundo da sala, disse: "Fui eu". A mulher sai então disparada na direção do agressor e começa a bater-lhe com chapadas e murros, tendo também ela sido agredida pelo aluno, até ser separada pelo que parece ser o professor e outros jovens.

Pode ver o vídeo aqui.

Histórias de bullying e como o prevenir. "É preciso acabar com a palavra queixinhas"
Histórias de bullying e como o prevenir. "É preciso acabar com a palavra queixinhas"
Ver artigo

Já depois do incidente, surgiram novas possíveis versões para o caso. Afinal, o rapaz que era vítima, Benjamin, afinal poderia ele próprio ser um agressor regular, de acordo com vários testemunhos. Um deles é o da mãe de Thiago, o rapaz agredido pela mãe no vídeo, e que é acusado de ser o autor de bullying. "Este rapaz (Benjamin) entrou na escola a meio do ano e já tinha sido expulso de duas outras escolas. Ele nem sequer é colega de turma do meu filho, é dois anos mais novo. Há quinze dias, ele agrediu o meu filho na rua e depois ameaçou-o com uma faca, que levou para o recreio".

Thiago
Foi assim que ficou Thiago, supostamente após as agressões de Benjamin

Também uma meia-irmã de Benjamim, Sami Baldomero, que não é filha da mulher que foi agora à escola agredir Thiago, veio confirmar depois que o rapaz afinal não é nenhum santo. "Eu conheço o Benjamim e a mãe. Há 14 anos que nos fazem a vida impossível, que me ameaçam a mim e à minha mãe, ao meu irmão, ao meu pai. A mãe dele é uma pessoa muito agressiva e o filho é ainda pior. O Benjamim chegou a ameaçar o meu pai de morte (e ele também é pai dele)", denunciou, numa mensagem enviada ao site "La Verdad".

Mensagem

A mãe de Thiago, o rapaz agredido pela mãe de Benjamim na sala de aulas diz que "sempre" pediu às autoridades e à direção da escola "para convocarem a mãe de Benjamim" para uma reunião, "Mas ela nunca apareceu".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.