Uma mulher de 34 anos andava desde abril a furtar artigos de um supermercado usando sempre a mesma técnica: comprava poucos artigos de cada vez, dirigia-se sempre às caixas rápidas em que o registo é feito pelo próprio cliente e "esquecia-se" de registar todos os produtos. Tanto usou este esquema que acabou por ser apanhada, após os seguranças terem desconfiado da cliente. Após verificarem as câmaras de vigilância constataram que a mesma mulher fazia isto desde abril e terá furtado, no total, artigos no valor de mais de mil euros.

TeddyJo, 34 anos, usava o esquema fraudulento desde abril
TeddyJo, 34 anos, usava o esquema fraudulento desde abril

TeddyJo Marie Fliam, 34 anos, foi detida pela polícia do estado de Michigan, já em casa, e após a consulta dos registos das câmaras de video-vigilância do supermercado Walmart do condado de Apena, nos Estados Unidos. Mas isto só aconteceu porque quando estava a fazer compras, esta sexta-feira, 21 de outubro, um dos mesmos da equipa de segurança responsável por controlar a zona de auto-pagamento ter desconfiado de que ela não estava a registar todos os produtos. Foi verificar e, efetivamente, vários artigos não tinham sido registados. A mulher  foi confrontada, negou o furto, protestou, gritou, mas acabou mesmo por ter de pagar os artigos em falta, revela a cadeia de televisão FOX. Mas esta atitude, juntamente com o facto de a mulher ser uma cliente regular, usando sempre as caixas de pagamento automático, levaram a que os seguranças tenham ido consultas as câmaras de videovigilância. E foi então que detetaram os furtos regulares desde abril.

Pobreza dispara em Portugal. Supermercados já colocam alarmes em latas de atum para travar furtos de comida
Pobreza dispara em Portugal. Supermercados já colocam alarmes em latas de atum para travar furtos de comida
Ver artigo

A polícia foi chamada ao local, analisou as imagens e acabou por deter a mulher, já em casa.

Esta foi a segunda vez num curto espaço de tempo que a polícia prende um cliente por esquemas fraudulentos em supermercados. Recentemente, foram detidos dois outros clientes que trocavam códigos de barras de produtos mais caros por outros códigos de barras de outros produtos mais baratos. Uma vez mais, foram apanhados com recurso à análise das câmaras de video-vigilância.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.