A Ilha de Man acredita que já ultrapassou a luta contra a COVID-19 e levantou todas as restrições do segundo confinamento esta segunda-feira, 1 de fevereiro. Retornar a uma vida em que não é obrigatório cumprir o distanciamento social ou usar máscara e em que se pode erguer o copo de cerveja para um brinde ao balcão de um bar — aberto até à 1 da manhã —, como aconteceu, é um sinal de esperança que a Ilha de Man está a enviar para o mundo, que ainda não se viu livre da pandemia.

Imaginar isto por cá parece quase impossível, mas nesta dependência autónoma da coroa britânica no mar da Irlanda isto só foi possível após um rigoroso bloqueio de 25 dias, que começou a 7 de janeiro, e nenhum caso registado nos últimos vinte. Assim, o chefe do Estado-maior, Howard Quayle, anunciou o fim das restrições, reconhecendo a "determinação coletiva, o sentimento de dever e espírito comunitário do povo" da Ilha de Man.

Acredita que esta obra da natureza fica a cerca de uma hora de Lisboa?
Acredita que esta obra da natureza fica a cerca de uma hora de Lisboa?
Ver artigo

Levantadas as restrições, o que se seguiu? "Um momento de alívio e celebração" em que a comunidade, com cerca de 80 mil habitantes, saiu à rua para passear e beber, relata a BBC. Um dos locais foi o pub Seven Kingdoms, em Douglas, que recebeu clientes passado apenas um minuto da meia-noite, assinalando o dia em que as restrições foram levantadas.

A vacinação também está em curso na ilha onde até este domingo, 31 de janeiro, já foram administradas um total de 6.697 primeiras doses e outras 1.038 pessoas já tomaram as duas doses da vacina contra a COVID-19, de acordo com o Governo local.

Contudo, o cuidado continua, razão pela qual as fronteiras vão continuar fechadas para não residentes. Uma vez que não pode visitar a ilha, pode pelo menos ver como é este lugar incrível e sonhar com o dia em que também vai poder sair à rua para beber uma cerveja ou simplesmente admirar paisagens como estas. Ora veja.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.