Nas próximas fases finais do Mundial de Futebol, acontecerá algo sem precedentes na história do desporto-rei. Pela primeira vez, todos os jogadores da seleção norte-americana, independentemente do sexo, receberão os mesmos pagamentos e prémios de jogo.

Depois de negociações, litígios e de disputas por igualdade salarial, a federação norte-americana de futebol chegou a um acordo histórico com as seleções masculina e feminina. Em negociações conjuntas, decidiram que, até 2028, vão alcançar o pagamento igualitário para os praticantes profissionais da modalidade, independentemente do género.

Foi também decidido que ambas as seleções partilharão o prémio de participação nos campeonatos do mundo organizados pela FIFA. Na prática, os prémios recebidos pela seleção masculina pela participação no Mundial do Catar (que acontece já este ano) e pela seleção feminina no Mundial de 2023 (que decorre na Austrália e Nova Zelândia) serão repartidos de forma igual por ambas as equipas, explica o "The New York Times"

Este é um acordo sem precedentes a nível mundial, num país em que o futebol não é o desporto mais popular e em que a seleção feminina já alcançou mais conquistas do que a masculina.

"Nenhum país fez isto. Acho que toda a gente deve estar orgulhosa do que alcançámos aqui. É realmente histórico", disse esta quarta-feira, 18 de maio, Cindy Parlow Cone, presidente da Federação de Futebol dos Estados Unidos.

O acordo contempla ainda que os futebolistas, homens e mulheres, receberão não só os mesmos honorários por aparições públicas, como terão salários baseados na performance desportiva, aplicáveis a todos os jogos e competições. As atletas da seleção norte-americana de futebol deixarão de ter salários fixos e passarão a receber pagamentos por jogo, como já acontece com os congéneres masculinos.

Este acordo vai mais longe e abrange também a venda de bilhetes e a forma de comercialização dos mesmos, "oferecendo mais formas para que todas as partes possam trabalhar em conjunto para fazer crescer a modalidade", adianta a federação norte-americana de futebol. O acordo histórico manter-se-á até 2028, período que engloba dois campeonatos mundiais (2022, Catar e 2026, Canadá, México e Estados Unidos) e dois Jogos Olímpicos (2024, Paris e 2028, Los Angeles).

A seleção feminina de futebol dos Estados Unidos já venceu quatro mundiais da modalidade (1991, 1999, 2015 e 2019) e conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos por quatro vezes (1996, 2004, 2008, 2012). A seleção masculina nunca conquistou um título.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.