Um jornalista australiano foi suspenso por duas semanas depois de, durante uma longa entrevista com Adele, ter admitido não ter ouvido o seu novo disco. A gravidade do dilema, no entanto, tem que ver com o facto de a entrevista à artista ter feito parte de um pacote especial que, alegadamente, terá custado cerca de um milhão de dólares ao canal Channel 7.

Para piorar a situação, já de si complexa, sabe-se que a editora de Adele estará a impedir que a entrevista seja emitida em televisão, escreve o "The Daily Telegraph".

A entrevista terá acontecido no início de novembro quando o jornalista Matt Doran, apresentador do programa "The Weekend Sunrise", viajou até Londres para uma entrevista exclusiva com a cantora a propósito do seu mais recente disco de originais, "30", editado seis anos depois de "25".

Adele. "Validar como as pessoas se sentem com os seus corpos não é a minha função"
Adele. "Validar como as pessoas se sentem com os seus corpos não é a minha função"
Ver artigo

No entanto, sabe-se agora que o jornalista não terá feito quaisquer questões à cantora a propósito do novo disco, segundo o que várias fontes com conhecimento da situação terão contado à mesma publicação. Quando Adele perguntou a Doran o que achava do seu novo disco, o jornalista respondeu que ainda não o tinha ouvido.

E ainda que pelo menos sete fontes tenham assegurado que Adele deu por interrompida a entrevista nesse preciso momento, outras fontes ouvidas pelo "The Daily Mail" garantem que, nesse instante, a entrevista já tinha terminado.

O problema é que a entrevista exclusiva à cantora e compositora fazia parte de um pacote comprado pelo Channel 7 que incluía, também, os direitos de transmissão da entrevista de Adele a Oprah Winfrey. No total, o pacote terá custado um milhão de dólares, mas a Sony, a editora que detém os direitos do trabalho da cantora, impediu a transmissão da entrevista. Não se sabe se a decisão será final ou se poderá ser revertida.

O jornalista Matt Doran foi suspenso por duas semanas por, alegadamente, não se ter preparado convenientemente para a entrevista, mas já voltou ao ativo.

À data da publicação deste texto, o Channel 7 não emitiu qualquer comunicado público acerca da situação.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.