A cadeia de fast-food McDonald's está a enfrentar problemas de escassez de batatas fritas no Japão. A procura é, como sempre, elevada, mas a oferta, nos últimos tempos, tornou-se diminuta. Em reação à falta deste tubérculo, os McDonald's japoneses apenas venderão doses pequenas de batatas fritas aos clientes.

A partir da véspera de Natal (24) e até 30 de dezembro pelo menos, os consumidores japoneses só vão conseguir comprar doses pequenas de batatas fritas. A cadeia de fast-food adota esta medida no Japão na tentativa de evitar uma eventual rutura de stocks.

Carne de excelência e batatas fritas trufadas. Pode provar estas maravilhas no novo Latina Grill
Carne de excelência e batatas fritas trufadas. Pode provar estas maravilhas no novo Latina Grill
Ver artigo

"Os McDonald’s no Japão limitarão temporariamente as vendas de batatas fritas de tamanho médio e grande como uma medida preventiva para garantir que os clientes possam continuar a desfrutar das batatas fritas do McDonald’s", afirmou a marca à BBC. A informação acerca desta escassez está disponível no comunicado que a empresa emitiu.

Os restaurantes McDonald's no Japão importam este produto do Canadá. Os tubérculos partem de um porto próximo da cidade de Vancouver, mas, devido a atrasos nos navios causados pela pandemia, o fornecimento tem tido problemas. Como solução, a empresa vai adotar medidas alternativas para obter os produtos de forma aérea em vez de marítima.

Esta não é a primeira vez que os restaurantes McDonald's no Japão são forçados a reduzir as suas porções e a restringir as vendas. Em 2014, também as batatas fritas foram visadas. Em agosto deste ano, no Reino Unido, houve problemas com a disponibilidade de batidos e de bebidas engarrafadas, como relembra a BBC.

Embora os restaurantes japoneses sejam os primeiros a divulgar este colapso, o problema expande-se à escala mundial. Estão em causa atrasos na cadeia de distribuição deste produto, provocados pela pandemia da COVID-19, e que afetam também outros países.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.