Um dia depois de o tribunal norte-americano avançar com o julgamento de príncipe André por alegados abusos sexuais a Virginia Giufre, a rainha Isabel II passa a assumir todos os galões militares e cargos civis ocupados pelo filho.

A decisão foi comunicada durante a tarde desta quinta-feira, 13 de janeiro, na conta oficial de Instagram da família real britânica.

Afinal, príncipe André vai mesmo a julgamento por abuso sexual
Afinal, príncipe André vai mesmo a julgamento por abuso sexual
Ver artigo

"Com a aprovação e o consentimento da rainha, as filiações militares e cargos honoríficos do Duque de Iorque foram devolvidos à rainha", avança a própria através de uma publicação na rede social. "O duque de Iorque continuará a não cumprir funções públicas e está a defender-se enquanto cidadão particular", lê-se ainda. 

A menos de um mês de cumprir 70 anos de reinado, Isabel II separa, assim, a instituição que chefia dos dilemas jurídicos do filho. Recorde-se de que esta é a primeira vez que um membro da família real britânica está envolvido num processo judicial deste teor, depois de Lewis Kaplan, juiz distrital de Nova Iorque, ter decidido avançar com o processo por abusos sexuais de que é alvo o príncipe André, na passada quarta-feira, 12.

O caso tem por base uma ação civil intentada em Nova Iorque por Virginia Giufre por "agressões sexuais". O caso remonta a 2001 e em causa estão alegados abusos sexuais à vítima que, à data, era menor de idade.

A suposta vítima de 38 anos, com 17 à data do incidente, alega ter sido escrava sexual do multimilionário norte-americano Jeffrey Epstein durante aproximadamente quatro anos e alegadamente 'emprestada' pelo magnata ao príncipe André para propósitos sexuais não consensuais.

Até à data, o príncipe André negou todas as acusações e os advogados do duque de Iorque chegaram a alegar que o processo interposto por Giufre não seria válido, depois de ter sido divulgado um acordo que revela que Jeffrey Epstein pagou 500 mil dólares (443.000 euros) à alegada vítima para desistir do caso — num documento que serve ainda para "ilibar para sempre" qualquer potencial réu, incluindo príncipe André.

No entanto, o juiz recusou-se a arquivar o caso e o membro da família real britânica vai mesmo responder por alegados abusos sexuais a Virginia Giufre. Até à data, não se sabe qual será a data oficial do julgamento, mas o advogado de Giufre já confirmou que esta não está interessada num acordo extrajudicial que lhe valha apenas uma indemnização paga pelo príncipe.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.