A casa de António Rolo Duarte, o estudante português que criou uma campanha de angariação de fundos online para pagar um doutoramente na Universidade de Cambridge — entretanto reativada pela GoGetFunding, e que já conta com mais de 15 mil euros angariados —, foi assaltada esta sexta-feira, 21 de agosto.

A notícia foi partilhada pelo estudante na sua página de Instagram, onde deixou um aviso aos assaltantes. "Dou-vos 48 horas. Vocês sabem onde eu moro. É naquela casa no Bairro de São Miguel. Deixem aquilo que nos roubaram num saco à minha porta e encerramos o assunto. Direi à polícia para deixar de vos perseguir. E da minha parte, o assunto fica encerrado. Sou um tipo que perdoa – não recuso apertar uma mão que se estende", escreveu António Rolo Duarte na legenda das imagens da porta de sua casa, e também do documento que dá conta da queixa às autoridades.

António Rolo Duarte: "Passa pela cabeça de alguém ir aprender para a Universidade de Évora?"
António Rolo Duarte: "Passa pela cabeça de alguém ir aprender para a Universidade de Évora?"
Ver artigo

O estudante revelou que os assaltantes roubaram itens da mãe e da avó, incluindo coisas de vital importância para a família. "A minha mãe chamava àquelas coisas 'aquilo que levaremos se houver uma guerra e tivermos de fugir do País'", escreve António, que refere que foram levadas coisas que lhe foram passadas pelo pai, Pedro Rolo Duarte, que morreu em 2017, bem como o seu passaporte.

António Rolo Duarte também parece deixar no ar uma dúvida sobre as motivações dos assaltantes. "A minha casa foi assaltada. Hoje à tarde, em plena luz do dia. A minha casa, em Lisboa, onde vivo e produzo a minha campanha de crowdfunding. A minha casa – aquela de cuja porta circularam fotografias na internet (o autor, a meu pedido, prontificou-se agora a apagá-las – obrigado). Será coincidência?", questionou.

Para tentar reaver os pertences roubados, António Rolo Duarte pediu a ajuda de quem o apoiou na campanha de crowdfunding. "Já recebi donativos de 458 pessoas extraordinariamente generosas que me apoiam. Se algumas destas 458 pessoas partilharem este post (está replicado no meu Facebook), os assaltantes vão acabar por lê-lo. E se tiverem bom senso, vão devolver as nossas coisas", salientou, dando ainda uma alternativa a quem cometeu o crime. "Se não quiserem deixar as coisas à minha porta, podem enviá-las em meu nome para qualquer jornal, rádio ou televisão deste País."

António Rolo Duarte causou polémica pela primeira vez em abril de 2019, quando referiu no programa "Prós e Contras" que as universidades portuguesas eram uma "anedota" e uma "tragédia". Já este ano, o estudante  lançou uma campanha de angariação de fundos de 25 mil euros para financiar o seu doutoramento na Universidade de Cambridge, alegando ter sido informado que a atribuição de bolsas estava atrasada devido à pandemia.

À MAGG, Luís Ferreira, coordenador do gabinete de comunicação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), garantiu que não existiu "qualquer adiamento programado na atribuição de bolsas de doutoramento referente ao concurso de 2020". Poucos dias depois, a campanha de António Rolo Duarte foi suspensa pela GoGetFunding após várias denúncias. Até ao momento da suspensão da campanha, o estudante tinha conseguido angariar 4.860 euros — o que equivale a 19% dos 25 mil euros pedidos até ao final de agosto. Agora, com a campanha de novo online, o montante recolhido já ultrapassa os 15 mil euros.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.