Há mais 102 mortes e 7502 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados este domingo, 10 de janeiro, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico.

Estes números surgem numa altura em que já há uma data para o início do novo confinamento: quinta-feira, 14 de janeiro. O confinamento geral vai ser discutido em conselho de ministros na quarta-feira, onde serão decididas as medidas a aplicar.

Confinamento entra em vigor na quinta-feira, mas portugueses podem ir às urnas
Confinamento entra em vigor na quinta-feira, mas portugueses podem ir às urnas
Ver artigo

Apesar das regras apertadas, haverá possibilidade de votar no dia 24 de janeiro, e estão até a ser preparadas equipas para recolher os votos dos idosos em lares. Além disso, as escolas continuam abertas naquela que será a grande diferença face ao confinamento que marcou o início de 2020. Esta decisão prende-se com o facto de o governo ter concluído que os alunos estão em maior segurança sanitária dentro das instituições de ensino, escreve a mesma publicação. Para além disso, também pesará a importância de não prejudicar o processo de aprendizagem, bem como o rombo económico que se traduz em um dos pais ser obrigado a ficar em casa para acompanhar os filhos.

 No entanto, as medidas concretas só serão fechadas no conselho de ministros de quarta-feira, já depois do governo ter reunido com os especialistas em saúde pública e epidemiologia, e analisado as conclusões.

O novo confinamento, que surge para travar a excessiva subida de novos casos diários — que tem estado sempre perto dos 10 mil casos por dia —, deverá ter a duração de 15 dias, à imagem da renovação de cada estado de emergência. No entanto, irá ser prolongado por igual período se os números diários de novas infeções do coronavírus não baixarem consideravelmente, avança o "Público".

 Pedro Siza Vieira, ministro da Economia, já avançou que tudo se deve manter igual para a maioria do comércio e restauração, que devem encerrar atividade — embora no caso dos restaurantes, estes possam continuar a funcionar com entregas e take-away.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.