Há mais 63 mortes e 1.577 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados este domingo, 27 de dezembro, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico.

Os novos números são apresentados no mesmo dia em que Portugal começou o seu plano de vacinação contra a COVID-19. A primeira dose da vacina contra a COVID-19 administrada em Portugal foi dada na manhã de domingo, 27 de dezembro, no Hospital de São João, no Porto. A primeira pessoa a ser vacinada em Portugal foi António Sarmento, 65 anos, médico infecciologista e diretor do serviço de doenças infecciosas daquele hospital.

O hospital recebeu as doses de vacina da Pfizer-BioNTech na tarde de sábado, 26, pelas 16h30. O momento da vacinação foi acompanhado por um momento de salva de palmas por alguns dos presentes, como profissionais de saúde. "Foi uma honra ter sido o primeiro vacinado. Estou absolutamente confiante, otimista. Não tenho medo da vacina. É verdade que o risco não é zero, mas também é verdade que o risco não é zero com nenhuma outra medicação", disse em declarações aos jornalistas e ao Pais.

COVID-19. Vacinados devem continuar a usar máscara, defende imunologista
COVID-19. Vacinados devem continuar a usar máscara, defende imunologista
Ver artigo

O início da vacinação, a começar já neste domingo, 27, será uma iniciativa comum a todos os estados membros da UE depois de a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ter considerado que a vacina em causa, à qual atribuiu uma autorização "para uso de emergência", era segura.

No primeiro lote, Portugal vai receber 9.750 doses que, ainda na quarta-fera, foi reforçado por Marta Temido, ministra da Saúde, que antecipou a chegada de mais 70.200 doses a partir de segunda-feira. No total, Portugal deverá administrar um total de 79.950 vacinas. O aumento do número vacinas que chegarão a Portugal nesta primeira fase vai permitir, segundo Marta Temido, ao igual aumento do número de profissionais de saúde e de hospitais elegíveis e nas esperança de que toda a rede do Serviço Nacional de Saúde seja abrangida.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.