Um ventilador produzido em Portugal pelo Centro de Engenharia e Desenvolvimento Hospitalar (CEiiA), em Matosinhos, foi esta terça-feira, 14 de julho, aprovado pelo Infarmed para começar a ser usado em contexto hospitalar. A notícia foi avançada pelo próprio Centro numa publicação no Facebook, em que afirmam que este é “um momento histórico” para o País. Na mesma partilham o nome dado ao aparelho e explicam que demorou 45 dias a ser desenvolvido e produzido.

“Foi com humanidade, resiliência, paixão e entrega que a comunidade 4Life, através do CEiiA, desenvolveu e produziu em 45 dias o ventilador ATENE que recebeu ontem autorização especial do INFARMED para o seu uso em contexto COVID-19”, pode ler-se na publicação.

COVID-19. Vacina entra na fase final de estudo (e há um sintoma da doença ao qual deve estar atento)
COVID-19. Vacina entra na fase final de estudo (e há um sintoma da doença ao qual deve estar atento)
Ver artigo

“Um passo importante para a sua distribuição nacional e internacional. Um momento histórico que valida definitivamente a nossa capacidade para desenvolver e produzir novos produtos críticos para a soberania do país”.

A produção deste aparelho reuniu conhecimento médico especializado, empresas, universidades e apoio financeiro de mecenas e milhares de portugueses. A ATENA foi distinguida entre 349 iniciativas que faziam parte do concurso express do programa Caixaimpulse, um programa da Fundação da Caixa que impulsiona inovações médicas.

A primeira fase do projeto já está concluída, e neste momento 100 unidades já passaram nos ensaios pré-clínicos. Espera-se que até setembro o CEiiA consiga produzir mais 400 unidades de ventiladores.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.