Joe Berardo foi detido esta terça-feira, 29 de junho, por suspeitas de crimes como branqueamento de capitais, burla qualificada e fraude fiscal, de acordo com a TVI. A Polícia Judiciária e o Ministério Público avançaram com a detenção do empresário, bem como do seu advogado, André Luiz Gomes, escreve o "Observador".

Joe Ber'arte. Lisboa recebe a primeira exposição de arte sobre Joe Berardo
Joe Ber'arte. Lisboa recebe a primeira exposição de arte sobre Joe Berardo
Ver artigo

A operação no âmbito da investigação da fraude à Caixa Geral de Depósitos, que levou à detenção de Joe Berardo, decorreu em Lisboa, Funchal e Sesimbra. Envolveu 180 profissionais, 138 da PJ, 26 da Autoridade Tributária, nove do Ministério Público e sete juízes de instrução criminal, salienta o "Diário de Notícias".

Foram efetuadas 51 buscas (22 buscas domiciliárias, 25 buscas não domiciliárias, três buscas em instituições bancárias e uma busca num escritório de advogados), informou a PJ em comunicado, refere o mesmo jornal.

A operação da PJ incidiu "sobretudo num grupo económico, que entre 2006 e 2009, contratou quatro operações de financiamentos com a Caixa Geral de Depósitos, no valor de cerca de 439 milhões de euros", pode ler-se no mesmo comunicado.

"Este grupo económico tem incumprido com os contratos e recorrido aos mecanismos de renegociação e reestruturação de dívida para não a amortizar" e "causou um prejuízo de quase mil milhões de Euros à CGD, ao NB e ao BCP, tendo sido identificados atos passíveis de responsabilidade criminal e de dissipação de património", salienta a Polícia Judiciária, que não identifica o grupo ou as pessoas envolvidas no comunicado, citado pelo "DN".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.