Aos 48 anos, abriu uma loja a granel em plena Avenida de Roma. Se era esse o cenário que Lúcia Guedes Vaz esperava que acontecesse em 2020? Não, mas não podia estar mais feliz.

Trabalhava como técnica superior numa instituição de cultura, mas sentia-se "posta na estante", como conta à MAGG. E como estar parada não é com ela, decidiu dar a volta. "Ou era agora aos 48 anos, ou já não tirava partido desta força que ainda tenho".

Morada: Avenida de Roma, 55 B, Lisboa
Horário: 8h-19h. Sábado 8h-13h. Fecha ao domingo.

Uma vez que os seus cozinhados sempre foram alvo de elogios por parte da família, foi fácil perceber qual o caminho. "Sempre fui eu a fazer os jantares de aniversário dos meus irmãos, do meu marido, dos meus sobrinhos e, como eles diziam, saíam de minha casa sempre de estômago no chão".

Fora do Saco
A loja conta com uma esplanada na Avenida de Roma. Há lugar para oito pessoas.

Sabia que queria ter um espaço pequeno, onde pudesse cozinhar, mas, ao mesmo tempo, onde todos os ingredientes estivessem à sua mão, mas também à mão de quem a visitasse. Vai daí o conceito: uma mercearia a granel com cafetaria.

Compensa comprar a granel? Para o ambiente sempre. Fomos testar para a carteira
Compensa comprar a granel? Para o ambiente sempre. Fomos testar para a carteira
Ver artigo

Chama-se Fora do Saco e fica na Avenida de Roma. Nas prateleiras tem especiarias, farinhas, grãos e sementes, mas também tudo o que precisa para dar os primeiros passos numa vida mais consciente. Champôs sólidos, escovas de bambu, cotonetes reutilizáveis, cápsulas de café reutilizáveis e produtos de beleza orgânicos.

Mas não há como não reparar numa montra que, apesar de pequena, é um pecado. É lá que Lúcia expõe os doces que esgotam em segundos. "Ainda no fim de semana anunciei que as queijadas tinham acabado de sair e, 5 minutos, lá se foram as 24.

Eunice Maia, criadora da Maria Granel: "Tenho uma loja, mas não incentivo ao consumo"
Eunice Maia, criadora da Maria Granel: "Tenho uma loja, mas não incentivo ao consumo"
Ver artigo

Os bolos não são sempre os mesmos e, no menu, nada é fixo. "Não gosto de criar hábitos e quero que as pessoas tenham sempre uma experiência diferente quando cá vêm", explica. É por isso que o menu do dia é diferente todos os dias, com pratos que vão variando entre o peixe e o vegetariano. "Tento fazer tudo o mais saudável possível — até porque cozinho com os ingredientes que vendo — mas sou muito apologista do sabor", refere. Os bolos levam açúcar, ovos e farinha, mas garante uma opção sem estes ingredientes para quem não quer sair da linha.

Há dois menus disponíveis: um de sopa, prato e café (7€) e o que se troca a sopa pela sobremesa (7,50€). Já ao pequeno-almoço, conte com torradas, tostas, taças de iogurte e smoothies. Mas qualquer dia a coisa muda, que Lúcia gosta de tudo menos de regras na cozinha.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.