Um relatório do Instituto Ricardo Jorge (INSA) enviado este domingo, 3 de janeiro, ao Governo dá conta dos primeiros casos de infeção com a nova estirpe de COVID-19 em Portugal Continental. De um total de 22 amostras recolhidas, a nova variante foi identificada em 16, avança a RTP, que cita o INSA.

A estirpe, denominada por alguns especialistas como linhagem B117, foi identificada pelo Reino Unido a 14 de dezembro e chegou à Madeira mais de uma semana depois, a 27 de dezembro, onde se registaram 18 casos com esta estirpe.

Somando Portugal Continental e ilhas, Portugal tem agora 34 casos da nova estirpe.

COVID-19. Nova variante de coronavírus pode não diminuir eficácia das vacinas
COVID-19. Nova variante de coronavírus pode não diminuir eficácia das vacinas
Ver artigo

Há 15 dias que o INSA analisa amostras suspeitas, mas só agora foram detetados casos da nova variante do SARS-CoV-2 em Portugal Continental que, de acordo com o ministro da Saúde do Reino Unido é "ainda mais transmissível e parece ter sofrido uma maior mutação".

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, chegou mesmo a revelar que esta estirpe é 70% mais contagiosa do que o normal.

Prova disso é a rápida transmissão da nova variante, que já foi detetada em mais de dez países: Dinamarca, Estados Unidos, Índia, Austrália, Canadá, França, Itália, Japão, Jordânia, Líbano, Países Baixos, Nigéria, Singapura, Espanha, África do Sul, Coreia do Sul, Suécia, de acordo com a Rádio Renascença.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.