Depois de 173 dias, Portugal sai do estado de emergência. A partir das 23h59 de sexta-feira, 30 de abril, o País desce no nível de alerta, dado que Marcelo Rebelo de Sousa decidiu não renovar a medida extraordinária.

Numa curta declaração esta terça-feira, 27, o presidente da República justificou a decisão pela "estabilização e até a descida do número médio de mortes e do número de internados em enfermaria e cuidados intensivos, assim como a redução do R(t) e a estabilização do número de infetados", mas deixou avisos.

Vai haver espetáculos culturais "teste-piloto". Diploma já foi aprovado por Marcelo
Vai haver espetáculos culturais "teste-piloto". Diploma já foi aprovado por Marcelo
Ver artigo

"Não estamos ainda numa era livre de perigo, livre de COVID, e enfrentamos ainda ameaças", afirmou Marcelo, tal como escreve o "Diário de Notícias". "Sem estado de emergência, há que adotar todas as medidas consideradas indispensáveis para evitar retrocessos", alertou, deixando claro que, se necessário, não hesitará "em avançar com um novo estado de emergência".

Apesar de Portugal sair do estado de emergência no final desta sexta-feira, as grandes mudanças acontecem a partir de segunda-feira, 3 de maio. Saiba o que muda na nova fase de desconfinamento.

  • Restaurantes, cafés e pastelarias voltam a funcionar sem limite de horários, com as limitações de seis pessoas por mesa no interior e dez em esplanadas.
  • Retoma de todas as modalidades desportivas
  • Retoma atividade física ao ar livre e ginásios
  • Grandes eventos exteriores e eventos interiores com diminuição de lotação podem realizar-se
  • Casamentos e batizados podem acontecer com 50% da lotação

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.