Foi em 1997 que a Princesa Diana, já separada do príncipe Carlos — e a meses de ser vítima mortal de um acidente de carro — se encarregou de mostrar ao mundo que os campos minados em África eram um problema que necessitava de uma solução urgente.

Esta sexta-feira, 27 de setembro, Harry, filho mais novo de Diana, seguiu os passos da mãe, literalmente. O Duque de Sussex percorreu uma agora movimentada rua de Huambo, que na década de 90 era um campo minado. O trabalho da mãe terá estado na origem da evolução deste sítio — ainda que noutros locais o problema persista e continue a matar pessoas.

Na mesma manhã, o Duque de Sussex prestou outra homenagem à mãe, ao recriar uma imagem semelhante à que ela tirou em Dirico, momentos antes de remotamente detonar uma mina terrestre, vestido também com um colete e viseira protetores. A fotografia de Diana a caminhar entre as bandeiras que alertavam para o perigo de minas tornou-se numa das mais icónicas imagens após a sua morte, no final de 1997. 

Enquanto discursava em frente a uma árvore com o nome da sua mãe, localizada na também Rua Princesa Diana, o Duque de Sussex descreveu esta viagem como "emocionante".

“Foi muito emocionante refazer os passos da minha mãe ao longo desta rua, 22 anos depois, e ver a transformação de uma área que era insegura e desolada e agora tem uma vibrante comunidade de empresas locais”, disse, citado pelo tabloide inglês “The Sun”.

O Duque de Sussex acrescentou ainda que ia continuar a o trabalho de consciencialização sobre a existência de minas terrestre, que fazem com que cerca de 60 milhões de pessoas ainda vivam com medo, reporta o mesmo jornal.“Questiono-me se seria este o cenário, caso ela estivesse viva”, acrescentou, no discurso, numa alusão ao perigo de vida que muitas pessoas correm pela presença de campos minados.

O príncipe de 35 anos encontra-se numa viagem a África de dez dias, na companhia da duquesa de Sussex, Meghan Markle, e do filho Archie, de apenas quatro meses.

Elogiou no Instagram, num post na conta Sussex Royal, o trabalho realizado por Princesa Diana, afirmando que esta ajudou a “mudar o curso da história” ao participar na detonação uma mina terrestre.

"O duque sente-se honrado por visitar um lugar e uma comunidade que era tão especial para sua mãe e por reconhecer a sua incansável missão como defensora de todos aqueles precisavam da sua voz, mesmo que a questão não fosse universalmente popular”, pode ler-se.

De acordo com o “The Sun”, o príncipe Harry disse ainda: “As minas terrestres são uma cicatriz de guerra não curada. Ao limpar as minas terrestres, podemos ajudar esta comunidade a encontrar a paz, e com a paz vem a oportunidade.” Acrescentou: “Além disso, podemos proteger a fauna diversificada que vive no  belo rio Kuito, onde dormi ao lado na noite passada.”

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.