(notícia atualizada às 11h)

Em comunicado, a TVI já reagiu a este episódio. Na missiva, a estação de Queluz de Baixo "condena e repudia" as agressões. 

Leia aqui o comunicado na íntegra

"A Direção de Informação da TVI repudia veementemente a agressão que o seu repórter de imagem Francisco Ferreira sofreu na segunda-feira à noite, após o jogo entre o Moreirense e o FC Porto, tendo como protagonista o empresário de futebol Pedro Pinho.

A TVI apela às entidades competentes e às forças da manutenção da segurança e da ordem públicas para que se crie condições de proteção das equipas de reportagem que cobrem este tipo de eventos desportivos.

A TVI distingue a instituição Futebol Clube do Porto de outros agentes e reserva-se a faculdade de  proceder judicialmente contra os responsáveis pelas agressões e pelos danos causados ao material de trabalho do repórter de imagem"

Um repórter de imagem da TVI foi agredido esta segunda-feira à noite, 26 de abril, no rescaldo do jogo do Moreirense contra o Futebol Clube do Porto, já no exterior do estádio em Moreira de Cónegos. Depois do final atribulado da partida da Primeira Liga, que terminou com o árbitro Hugo Miguel a anular o golo que daria a vitória aos azuis e brancos já no período de descontos — e que motivou confrontos no campo que envolveram Sérgio Conceição, o treinador da equipa do FC Porto —, os ânimos continuaram exaltados e Pinto da Costa abordou os jornalistas no exterior.

Jornalistas vigiados e fotografados pela PSP. Vigilância terá acontecido sem autorização de um juiz
Jornalistas vigiados e fotografados pela PSP. Vigilância terá acontecido sem autorização de um juiz
Ver artigo

Foi na sequência desta abordagem do presidente do clube do Porto que existiu uma agressão a Francisco Ferreira, o repórter de imagem da estação de Queluz de Baixo, momento captado por outros repórteres na mesma zona, salienta o "Observador". O repórter da TVI foi agredido, acabando por deixar cair a câmara, algo que acarreta prejuízos materiais para a estação a que pertence.

O empresário Pedro Pinho, que não pertence à estrutura do FC Porto mas tem várias ligações ao clube, terá sido o autor da agressão, tendo sido imediatamente identificado por elementos da Guarda Nacional Republicana presentes no local. No entanto, o agente desportivo acabou por abandonar o estádio no interior do seu carro.

Após a agressão, o empresário mostrou-se "arrependido" e terá deixado claro que pretende cobrir os prejuízos causados ao equipamento, salientou Victor Pinto, jornalista da TVI, na TVI24, que assinalou ainda que, de acordo com declarações de Vítor Baía, a aproximação de Pinto da Costa foi "em tom de provocação", quase como "uma brincadeira", e não uma "atitude de intimação".

Vítor Baía fez também um pedido de desculpas pelo sucedido em nome do clube azul e branco. "Veio diplomaticamente explicar a situação, pôs-se a disposição para acudir ao que fosse necessário", esclareceu Victor Pinto na TVI24, que também indicou que a TVI pretende apresentar queixa do sucedido "o mais brevemente possível", apesar de ter existido uma "tentativa de dissuasão" para que tal não acontecesse, escreve o "Observador".

Veja o vídeo do momento da agressão.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.