Nem parece que Umbul Ponggok, uma pequena lagoa em Klaten, na Indonésia, já teve em tempos uma água suja e poluída, usada somente pela população local para tomar banho e lavar a roupa.

É que agora, esta lagoa, de 70 por 40 metros, tornou-se um dos sítios mais "instagramáveis" da região, de acordo com o jornal britânico "Daily Mail". Por menos de 1€, os turistas podem mergulhar e levar consigo câmaras subaquáticas para fotografar debaixo de água. Quem quiser, pode também pagar a um fotógrafo de mergulho para tirar as fotos.

Lá em baixo não há só peixes e rochas. Há televisões, bicicletas, motas e tudo o que é necessário para uma fotografia diferente e divertida. Esta lagoa até já tem uma conta de Instagram, com mais de 40 mil seguidores, onde são partilhadas as fotos de vários turistas debaixo de água.

A atividade tornou-se num ponto turístico tão importante, que agora até é possível fazer mergulho e snorkling (prática que envolve um tubo de respiração, em vez das garrafas de oxigénio usadas no mergulho).

Quem também já é fã deste local é o presidente da Indonésia, Joko Widodo, que publicou no Facebook a fotografia de um jovem em cima de uma mota na lagoa Umbul Ponggok, acompanhada de uma descrição na qual convida os habitantes de aldeias vizinhas a visitar a lagoa.

Presidente Joko Widodo

"Convido outras aldeias com potencial semelhante a aprender e a imitar o que a vila de Ponggok está a fazer. Chegou a hora de o governo pensar no poder económico das vilas", refere Widodo na descrição do Facebook.

A exploração do potencial de Umbul Ponggok foi impulsionado por Junaedi Mulyono, eleito chefe da vila em 2006. Nesta altura percebeu que a lagoa podia ser limpa, já que tem água de 40 fontes naturais a correr no caudal.

Os 10 destinos de férias mais populares no Instagram
Os 10 destinos de férias mais populares no Instagram
Ver artigo

"Inicialmente muitos moradores resistiram no investimento, mas depois de ver o desenvolvimento da lagoa, mudaram de ideias", revelou Mulyono ao jornal "South China Morning Post".

O projeto acabou então por avançar: os moradores investiram na limpeza da lagoa, transformaram-na numa atração turística e hoje muitos moradores locais conseguem tirar proveito da atividade turística, vendendo souvenirs, roupas e comida.

"Era dona de casa, mas o meu marido estava doente e precisava de descansar, então tornei-me vendedora de pão. Estou grata por ter dinheiro para cobrir as minhas necessidades e as da minha família", confessa ao jornal asiático Sisminarti, uma senhora que vive perto da lagoa e passou a vender roupa e comida depois do desenvolvimento do turismo na lagoa.

Veja o sucesso que a lagoa faz no Instagram.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.