O craque português até que tem olho para o negócio, mas não foi o que aconteceu com um loft luxuoso que comprou em 2015 na Trump Tower, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Na altura o imóvel custou-lhe 18,5 milhões de dólares (cerca de 17 milhões de euros) e acabou de vendê-lo por 7,18 milhões de dólares (cerca de 6,3 milhões de euros), segundo o portal imobiliário Street Easy.

O valor a menos representa uma diferença na ordem dos 10 milhões de euros que não devem fazer falta ao craque, mas até Georgina Rodríguez soube fazer melhor negócio quando mudaram de casa e decidiu colocar alguns móveis à venda no OLX, conforme revelou no documentário da Netflix "Eu, Georgina".

Contudo, há algumas razões que justificam a desvalorização da casa com 240 metros quadrados que, por estar nas mãos do craque, tinha tudo para subir ainda mais o valor. Um deles foi o fator pandemia, determinante para a redução do preço relativamente ao da compra original, uma vez que em Nova Iorque todos os preços de arranha céus acabaram por diminuir, obrigando Cristiano Ronaldo a reduzir o valor de venda dos 9 milhões de dólares (quase 8 milhões de euros), que anunciou em 2019, para os 7,99 milhões de dólares (cerca de 7 milhões de euros) em 2020.

Porque é que a família de Ronaldo não aparece em "Eu, Georgina"? "Circunstâncias", diz Gio
Porque é que a família de Ronaldo não aparece em "Eu, Georgina"? "Circunstâncias", diz Gio
Ver artigo

Em 2022, o craque conseguiu desfazer-se do apartamento que estava relacionado com o nome do ex-presidente dos Estados Unidos. Donald Trump é, segundo o jornal espanhol "Expansion", outra razão para a desvalorização do imóvel de Cristiano Ronaldo, assim como o de outros sete prédios de luxo que perderam valor em 2019 (ano em que o craque anunciou pela primeira vez a intenção de venda), quando Donald Trump já ia no terceiro ano de seu controverso mandato).

Contudo, há quem tenha posto de lado os fatores políticos associados à torre onde fica o apartamento que o jogador adquiriu quando ainda Donald Trump não era presidente (só assumiu o cargo em 2017) para poder usufruir do T3 projetado pelo designer Juan Pablo Molyneux que, como é habitual no estilo dos seus projetos, recheou a casa de madeiras nobres, mármores e cortinas de seda.

Recorde como era a casa de Cristiano Ronaldo, com vista para o Central Park e para os arranha céus de Midtown Manhattan.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.