Está localizado no Cais do Sodré, Lisboa, e traz para o prato (e para o copo) aquilo que de melhor o Peru tem para oferecer. Chama-se Amaru – Peruvian Street Lab, e nasceu em 2022, alicerçado pela paixão pela cozinha peruana que Manuel Bonneville, Pedro Moura Coutinho, Daniel Mello e João David, os sócios-fundadores, partilhavam.

A criação deste novo spot teve uma razão: a lacuna de sabores peruanos que pairava sobre aquela zona de Lisboa e que foi detetada por este grupo de amigos. Agora, desejam que o restaurante seja um ponto de passagem obrigatório para quem por lá passar. E o mote é dar a conhecer as iguarias deste país da América Latina, recorrendo a uma carta recheada de pratos e cocktails típicos (e com algumas reviravoltas), a cargo do chef Pedro Brandão.

Por isso, sentar-se à mesa deste restaurante é sinónimo de uma escapadinha até ao Peru, sem ter de sair do sítio. A par da decoração, pensada por um dos sócios, esta viagem (ou refeição) inicia-se, desde logo, com as entradas. Apostas como Tacu-tacu (4,50€), bolinhas de feijão fritas em migalhas de pão com salsa peruana fresca e as mini-espetadas, como a Anticucho de papa dulce (5,50€), preparada com batata doce com salsa huancaína, batata doce crocante e pimentão fumado, vão deixar-lhe os sabores mais autênticos a marinar na boca.

Boca Linda. O novo mexicano (cheio de pinta) de Lisboa que nasceu para acabar com a falta de restaurantes autênticos
Boca Linda. O novo mexicano (cheio de pinta) de Lisboa que nasceu para acabar com a falta de restaurantes autênticos
Ver artigo

Já dizia o ditado: no Peru, sê peruano (não era bem assim, mas vamos fingir que sim). Por isso, não pode sair do restaurante sem experimentar o batalhão de ceviches fresquinhos de que o restaurante se muniu. Pode deliciar-se com o Lo Puro (13,50€), confecionado com corvina, leite de tigre, batata doce e cebola roxa, ou com o Atum Nikkei (15€), preparado com atum fresco, leite de tigre, alga nori e rábano. Também há opções para quem dispensa uma dieta com produtos de origem animal, como o Sangrita (8,50€), composto por salsa sangrita, tomate cherry marinado, abacate e cebola roxa.

Porém, a oferta é inclusiva e também há pratos de carne, como o El Cochinito (7,00€), que consiste em cachaço de porco assado lentamente em pão de brioche com salsa amaru, alface crocante e cebola roxa, ou o “Lomo Saltado” (16,00€), em que o coração de alcatra marinado é o protagonista, temperado com salsa chifa, cebolete, cebola roxa, salsa criola e arroz branco.

Todas estas iguarias podem (e devem) ser acompanhadas de copo na mão. Pode optar por um vinho ou cerveja, mas há cocktails que desarmam qualquer um, mesmo aqueles que não são fãs deste género de bebidas. Assim, da tequila à vodka e ao rum, que compõem bebidas como margaritas, mojitos, daiquiris e martinis, respetivamente, opções não faltam.

Tendo tudo isto em conta, guarde espaço na barriga, porque as sobremesas são o remate final da refeição. Vai ser difícil escolher entre a mousse de doce de leite, com merengue crocante e raspa de lima (3,80€) e o bolo fofo com calda de pisco, doce de leite, nata batida, molho de leite condensado e gelado de nata salgada (5€).

Por isso, não há como não sair do Amaru de barriga cheia (e feliz). E pode sempre partilhar essa felicidade com amigos, já que o restaurante também oferece menus de grupo, com um valor de 27,50€ por pessoa (e ainda incluem um café e uma cerveja, com 50% de desconto durante toda a refeição).

Horário: Quinta a segunda-feira, das 18h00 à 01h00

Morada: Rua de São Paulo, 204, 1200-429 Lisboa

Contacto telefónico: +351 918 994 820

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.