Fecham-lhes as portas, mudam-lhes os horários, cortam-lhes lugares e clientes e, ainda assim, mantêm-se firmes na luta para sobreviver à crise que se instalou graças à COVID-19. Os restaurantes são campos de batalha e os seus donos uns heróis do transformismo: é que em poucos meses já tiveram que reinventar menus, horários e até conceitos.

Com as regras que ditam que tudo fecha às 22h30 durante a semana e às 13 horas ao sábado e ao domingo, eis mais uma oportunidade para entrarem naquela cabina de fumo — qual Chuva de Estrelas — e saírem de lá renovados para mais um desafio.

Reunimos as ideias mais arrojadas de restaurantes que nunca se ficaram pelo básico e mostramos-lhe os jantares mais loucos e os pequenos-almoços que nunca pensou vir a tomar.

O pequeno-almoço com moelas e língua da Fábrica da Musa

Fábrica da Musa

Daqui nunca se espera o óbvio. A cerveja é original, o espaço também e nem a comida é daquela chapa cinco que normalmente se quer salgada e frita, mesmo a pedir mais um copo.

Neste segundo fim de semana de confinamento, a festa começa domingo às 9h30 na Fábrica da Musa, em Marvila, mas os pratos não são de todo aqueles que espera de um pequeno-almoço. Na cozinha juntam-se cozinheiros e jornalistas para um banquete feito de couve-flor gratinada e morcela, scones com língua, ovo e farinheira, pastel de caldo verde e maionese de chouriço, moelas estufadas e, de sobremesa, tarte Snickers e tarte de queijo de São Jorge com coulis de marmelo assado. Se calhar é melhor saltar o jantar de sábado.

Este fim de semana é para acordar cedo: há dez brunches incríveis para ir até às 13 horas
Este fim de semana é para acordar cedo: há dez brunches incríveis para ir até às 13 horas
Ver artigo

O drive thru do Ajitama

Ajitama
O Ajitama criou um sistema de drive thru, onde só precisa de parar à porta e o pedio é entregue diretamente no carro. créditos: Arnaldo Cellani Junior

No Ajitama serve-se ramen como se no Japão estivéssemos. E, tal como çá, não há hora para este caldo que nos aquece até a alma. é por isso que António Carvalhão e João Ferreira, os proprietários, decidiram desafiar os clientes a virem jantar mais cedo. Assim, há um cocktail grátis para quem fizer reserva entre as 17h e as 18h30. Mas há mais, prepare-se.

O serviço Ajitama Express Drive Thru pretende tornar ainda mais rápido e eficiente o take away. Para isso, o cliente faz a encomenda através do site e escolhe o que pretende do menu, faz o pagamento e indica, no campo de observações, a hora a que pretende recolher a refeição, assim como a matrícula do seu carro. Assim que o cliente chega ao Ajitama, basta parar o carro em frente ao restaurante em quatro piscas, o staff identifica a matrícula e entrega a encomenda através da janela do carro.

Para encomendas superiores a 20€, há oferta de uma bebida ou de uma sobremesa.

Quisemos saber como andam os proprietários de restaurantes de bairro. "Isto é 40 vezes pior do que a troika"
Quisemos saber como andam os proprietários de restaurantes de bairro. "Isto é 40 vezes pior do que a troika"
Ver artigo

O jantar às 10h30 do Geographia

Geographia
Atum corado é um dos pratos que fazem parte deste jantar servido de manhã.

No Geographia, um restaurante voltado para a gastronomia dos países onde se fala português, decidiu-se dar a volta ao fuso horário, servindo o jantar às 10h30, a hora de jantar em Timor-Leste.

Este "jantar" é servido apenas no sábado e em modo menu de degustação, onde é possível provar pratos sem fronteiras. Tudo começa com uma sopa de atum fresco com carolo de milho de Cabo Verde, e passa por um peixe braseado com molho calulu, quiabo, tomate, espinafre e óleo de palma de Angola, uma moqueca de palmito do Brasil ou um caril de vegetais de Moçambique, entre outros. Tudo acaba com um bolo de banana caramelizada com gelado de baunilha de São Tomé.

O menu custa 25€ por pessoa.

O jantar com ajuda do Instagram dos Kitchen Dates

Kitchen Dates
Os raviolis dos Kitchen Dates já são um cássico e não podiam faltar a este jantar especial.

Os Kitchen Dates são uma máquina de resistência. Resistem ao plástico, ao desperdício, ao ingrediente fácil e aos embalados. E agora resistem também a uma pandemia tramada que já os fez repensar no negócio várias vezes.

Rui e Maria estão à frente do único restaurante que alia estas duas vertentes: cozinha sem desperdício e uso exclusivo de ingredientes locais. E nem na versão entrega em casa estes princípios são descurados.

O menu é pensado para duas pessoas e custa 40€. É composto por creme de abóbora e laranja, tortilha de grão-de-bico e batata doce, molho de pimento de Padrão fermentado e dióspiro, focaccia de fermentação lenta, cogumelos shiitake, melaço salgado, aioli, ravioli de quimchico e amêndoa, puré de castanha e funcho, tarte de nutarroba e uma sobremesa surpresa.

Mas há mais. Além de terem o Rui a levar-vos este banquete pessoalmente a casa, às 19h30 e em direto pelo Instagram, esta dupla maravilha dá-lhe todas as indicações sobre como terminar os pratos em casa, para que a experiência se assemelhe o mais possível com a que é vivida no restaurante de Telheiras.

As encomendas são feitas antecipadamente e através do site.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.