Durante os últimos oito anos, o Sítio, restaurante do Valverde Hotel, conquistou clientes fiéis, muito além dos hóspedes. A afluência, principalmente à hora de almoço, ao espaço era tanta que, em 2021, aquando das obras de expansão deste boutique hotel no coração da Avenida da Liberdade, em Lisboa, o Sítio ganhou um sala e uma cozinha dignas da sua (boa) fama, aumentou a carta e atraiu ainda mais clientela.

Agora, depois de vários anos aos comandos da chef Carla Sousa (atualmente no Rio de Prata), o testemunho passou para o chef Bruno Caetano de Oliveira, que depois de passagens pelo grupo Sana, Praia d’El Rey Marriott Golf & Beach Resort e Sheraton Cascais, instalou-se neste Sítio para dar ainda mais sabor a uma cozinha que se quer de conforto, assente nos sabores portugueses, mas com um twist.

Valverde Hotel. O oásis da Avenida tem piscina aquecida e as melhores panquecas de Lisboa
Valverde Hotel. O oásis da Avenida tem piscina aquecida e as melhores panquecas de Lisboa
Ver artigo

"Mudámos muita coisa", diz à MAGG sobre a oferta atual do restaurante, que foi restruturada praticamente de forma integral. "A carta era a mesma desde as obras de renovação, e estava em vigor desde a reabertura após a pandemia. Tínhamos clientes e funcionários ansiosos por mudança, e esta carta é feita então sob a minha visão."

Valverde
Para além da sala de refeições, o Sítio também tem esplanada

E no que é que é assente a oferta atual do Sítio? "Produto, produto, produto", afirma Bruno Caetano de Oliveira, que salienta a portugalidade da oferta. "Não temos de ter vergonha da nossa identidade e aqui o ênfase é dado aos nossos produtos. O hotel tem a chancela do Relais & Châteaux, que significa uma forte componente gastronómica, e faz todo o sentido mostrar a oferta local aos nossos clientes e o os bons produtos que temos em Portugal."

Para o chef do Sítio, espaço que conquistou recentemente a distinção máxima do concurso gastronómico Lisboa à Prova, a aposta é encarar cada refeição como um encontro de amigos, onde a conversa passa pela mesa e pelas delícias que vão chegando da cozinha que merecem toda a atenção possível — ou não odiasse o chef ver os clientes de telefone na mão.

Bruno Caetano de Oliveira
Chef Bruno Caetano de Oliveira

"A nossa ideia é que os clientes não percam a identidade da partilha, aquela ideia de estarmos todos sentados à mesa, que está tão enraizada em nós, portugueses", refere Bruno Caetano de Oliveira.

A comida de conforto é servida no oásis mais central de Lisboa

Para além de uma sala de refeições elegante e atual, também pode degustar as propostas do chef Bruno Caetano de Oliveira na esplanada do Sítio, mesmo em frente ao jardim e à vegetação do Valverde, que criam as condições ideais para que se sinta num oásis mesmo estando no centro de uma Lisboa cada vez mais movimentada.

E se há coisas boas para provar. O chef não deixa de destacar os pratos à base de arroz, dos quais admite ser um apaixonado. "Tenho um arroz de garoupa fantástico [25€] ao almoço, um de lavagante [45€] igualmente incrível ao jantar, feito com um produto nobre como este. Temos também em atenção a cozinha de sala, a interação com o staff que não queremos perder, por isso temos o cuidado de fazer chegar os pratos à mesa — como quando temos açorda, por exemplo — apresentá-los ao cliente e, caso se aplique, envolver após essa pequena conversa."

No Sítio, existem duas cartas distintas. A de almoço, com duas opções de menu executivo com sugestão do dia (27€ a 31€, com entrada ou sobremesa ou ambas), e a de jantar, onde constam pratos ainda mais requintados. É o caso de entradas como o escalope de foie gras e pêra (24€), que a MAGG provou e aprovou, o carabineiro (42€) ou o tártaro de beterraba (16€).

Já nos principais, há propostas como polvo a baixa temperatura (30,50€) — e sim, o polvo fica mesmo super tenro —, pregado (29€), suprema de pintada e trufa negra (39€), entre outras opções, que pode finalizar numa nota doce com várias sobremesas, como a tarte vegan de chocolate (12€).

Sobre o sucesso deste e tantos outros pratos, o chef não tem dúvidas. "Estamos a ter uma aceitação muito boa, o menu executivo funciona muito bem. Acho que temos tudo para agradar a 'gregos e troianos', como se costuma dizer, ao servir comida portuguesa com uma delicadeza e um twist que também agrada ao cliente internacional. Temos hóspedes que marcam mesa uma vez e depois chegam a vir duas e três, o que para nós é uma grande satisfação. Temos pratos bem feitos, bem confecionado, bem apresentados e que representam muitíssimo bem Portugal. Proporcionamos uma boa experiência", conclui Bruno Caetano de Oliveira.

Morada: Valverde Hotel, Avenida da Liberdade 164, Lisboa
Telefone: 210 940 310
Horário: 12h30-22h30

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.