Fomos seduzidos no Hen.tai. Primeiro, a facilidade de estacionar face aos restaurantes no centro de Lisboa é sempre um ponto a favor.  Segundo, apesar de não ser um espaço extravagante, a decoração descontraída do restaurante de sushi e ramen atraiu-nos por proporcionar um ambiente acolhedor com elementos asiáticos. Por último, rendemos-mos mal pudemos levar os pauzinhos à boca com um tataki de salmão braseado e afogado em molho sumiso de laranja, cujo prato fundo apetecia lamber até não restar molho (e talvez aqui não parecesse assim tão mal fazê-lo).

É que hentai, mais ou menos o nome do restaurante que abriu portas no início de 2021 na Amadora, está associado, na cultura japonesa, a um desejo sexual perverso ou, no mundo ocidental, a anime (animação japonesa) e manga (banda desenhada japonesa) pornográfica.

Para aliviar o significado da palavra original, foi adicionado um ponto, mas mesmo assim alguns clientes têm dúvidas sobre o que vão encontrar. O chef do restaurante, Bruno Gomes, contou-nos que, por vezes, em reservas feitas por telefone, os clientes perguntam se é mesmo hentai, ou seja, se ali satisfazem-se desejos.

A resposta certa é não, mas cá para nós satisfaz outros desejos: da gula.

Começando pelos ramens, que aquecem nas noites de inverno, encontrámos no Hen.tai um dos caldos mais equilibrados em termos de sabor que já provámos. O mais simples, o tonkotsu (12€), vem com porco chashu, cebolete e ovo marinado — com a gema trémula com recurso a uma técnica que se resulta num ovo ajitama e não escalfado, aprendemos com o chef — e o mais elaborado, denominado one punch ramen (13€), tem uma nota para o facto de ser "hot" (picante, em português), cumprindo com o conceito do restaurante.

Hen.tai
Ramen (desde 12€) créditos: MAGG

Apenas não há versão vegetariana dos ramen e o chef Bruno Gomes explica porquê. "Para fazer um caldo bom é preciso tempo", afirma o chef que está tentar alcançar o ponto perfeito do caldo totalmente vegetal e acrescenta que não concebe a ideia de outros espaços que têm ramen "vegetariano", com caldo de porco. “Não faz sentido”, diz o chef com uma longa carreira.

Trabalha com a cozinha asiática há 16 anos, começou no Nood, passou no Ritz e dois anos depois decidiu viajar. "Fiquei a perceber que não sabia nada de sushi", brinca. Foi então aprender mais e para isso integrou a equipa do melhor restaurante de sushi na Noruega, o Zuuma. A Barra Japonesa, do chef Kiko, também faz parte dos sítios onde passou até chegar ao Hen.tai.

Não é food porn para o Instagram, mas é para o palato

Ao contrário do ramen, no sushi há opções vegetarianas, vegan e outras que deixam vontade de limpar o molho do prato. Não é que o sushi não valha por si só, mas um bom molho faz toda a diferença — se formos a ver, até a francesinha mais bem feita perderia toda a graça sem o molho. Exemplo disso foi a primeira entrada que provámos, o já referido tataki de salmão braseado em molho sumiso de laranja (5,50€), bem como o ceviche japonês de atum marinado em ponzo e servido com abacate e molho de manga (8,50€).

Seguiu-se um combinado com gunkans surpreendentes, como de manga. Não se deixe enganar pelo aspeto, porque não é o cobiçado gunkan com ovo de codorniz. Mas está taco a taco. No centro tem manga, que escorre pela boca tal como o peixe fresco. Também provámos um uramaki de atum coberto com uma maionese de coentros, que é daquelas peças de sushi que ou se adora ou odeia — e nos amámos. Pode encontrá-las no combinado sushi sake (14€).

Já o combinado samurai XXX (15€) tem um dos best sellers do restaurante: o gunkan de atum picante, bem como outras, desde o nigiri de salmão ao gunkan tosago.

Para acompanhar, cantorias do chef bem disposto que se distrai com a música temática que dá ambiente ao restaurante e uma cerveja Sapporo (3,15€) ou um copo de vinho. Já o café, deve acompanhar com os mochis (4,20€).

Hen.tai

Localização: R. Elias Garcia 398, 2700-827 Amadora
Reservas: 912 218 641/ hentaisushiramen@gmail.com
Serviço: Take-away e entregas ao domicílio em Lisboa e Amadora através da Uber Eats
Horário: todos os dias das 12h às 15h e das 19h às 22h

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.