Diogo Morgado a refletir sobre a vida em sítios com paisagens bonitas. Diogo Morgado a usar fatos de três peças que lhe assentam impecavelmente. Diogo Morgado a mergulhar numa piscina interior, à noite, e a pensar mais um bocado.

Diogo Morgado a espatifar-se de carro só para conseguir ter acesso aos dados informáticos de uma clínica. Diogo Morgado está em todo o lado no primeiro episódio de "Para Sempre", a nova novela da TVI, e não nos estamos a queixar. O raio do homem é como o vinho do Porto. Quanto mais o tempo passa, melhor está.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

Mas voltemos ao início. Já tínhamos saudades de um genérico no qual as caras dos protagonistas aparecem a flutuar sobre florestas e aldeias. #soquenão.

E, por falar em início: dava para não ter uma primeira cena em que Diogo Morgado aparecesse com a cara cheia daquilo que parece pastilha elástica? Visualmente é tão estranho que só dá vontade de saltar para dentro do ecrã e fazer como as nossas ricas mães faziam (em pré-covid, claro): molhar o polegar e esfregar-lhe vigorosamente aquela carinha laroca.

Tocámos num ponto sensível. O nosso Pedro Valente (Diogo Morgado) não tem mãe. Foi abandonado e, por isso, não consegue dormir. Quando o conhecemos está a fazer exames e o médico recomenda-lhe psicoterapia. "Eu resolvo os meus próprios problemas", diz Pedro. Alerta, masculinidade tóxica!

E, ainda neste tema, o que dizer do padre Elias (António Capelo), que é provavelmente o pior treinador de futsal do mundo, a mandar crianças pubescentes partirem as pernas uma das outras? Ficamos a saber que o nosso Pedro foi criado pelo padre Elias que, aqui entre nós, não parece ser flor que se cheire.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

Vamos para flashback. Pedro foi abandonado pela mãe quando tinha quatro anos. E, ao estilo clássico de uma novela, não deixou a criança numa paragem de autocarro ou no hospital. Deixou-a nas escadas da igreja. Mas, cinismos à parte: se a cena em que o pequeno Pedro (interpretado pelo mega-fofo Rodrigo Costa) começa a chorar, depois de se aperceber que a mãe o abandonou, não o emocionar, significa que é uma alma empedernida e sem emoções. Alguém dê um Globo de Ouro a este miúdo. Já.

Pronto, o padre está feito com Fátima (Ana Bustorff), que é também a voz do telefonema anónimo, que diz a Pedro que sabe quem é a mãe e que esta é rica. Ó diabo, o que é que se passa aqui? Queremos saber mais.

O pedido de casamento mais constrangedor de sempre

E se a vida de Pedro dava um filme (ou 200 e tal episódios de uma novela), a de Clara Sampaio de Menezes (não precisamos de mais nada para saber que é rica) resume-se num trailer intitulado #whitepeopleproblems. Clara (Inês Castel-Branco) é rica e, porque é rica, escolhe ter uma "ocupação". É professora de criancinhas e toda a gente gosta imenso dela. Uma espécie de Heidi do Soajo mas que, como todos os ricos, também tem problemas.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

E como todas as ricas boazinhas das novelas, tem uma amiga para ter conversas sobre dramas dramáticos. Neste caso, a amiga é Magda Ruela (Maya Booth). "E no meio disto tudo, acho que o Lourenço me vai pedir em casamento!", diz Clara a Magda. Só faltou o "migaaaaa!". #bocejo.

Clara e Lourenço Novais (interpretado por Pedro Sousa e, spoiler alert, o irmão mais novo de Pedro, o que a mamã Antónia escolheu) são namorados e são ricos. E por serem ricos têm de se casar porque os papás querem fazer negócio juntos. Eu não sou rica por isso nunca saberei destes meandros mas... isto acontece na vida real? Para duas pessoas abastadas fazerem negócio é preciso emparelharem os filhos? São dúvidas que tenho.

Voltando a Clara. O diálogo entre Clara e Magda tem a intensidade de um fósforo aceso à varanda na Ericeira, mas lá conseguem meter o Rossio na Betesga e falar do que realmente interessa. Clara não consegue ter filhos e quem lhe dá a novidade sobre o fracasso dos tratamentos de fertilidade é a amiga. Isto soa a uma clara violação da privacidade do paciente mas, como vamos perceber mais à frente, nas clínicas da família Novais, a ética é o capacho em que toda a gente esfrega os sapatos.

Ana Nave, Rui Melo, Patrícia Tavares, Susana Mendes e Mafalda Marafusta interpretam o núcleo dos pobres, que é como quem diz, o núcleo cómico, que é como quem diz, o núcleo onde estão os melhores atores.

Há um café da aldeia, há roupas e penteados bizarros, e um padeiro aldrabão que fala com sotaque de Alfama apesar de estarmos no Minho. Clássicos. E se deste núcleo esperamos coisas boas, o mesmo já não se pode dizer do coro de criancinhas da professora Clara, que canta com o mesmo entusiasmo com que eu faço ponto de cruz. E é no meio de "Alecrim aos Molhos" que Lourenço decide fazer aquele que é o pedido de casamento mais estranho de sempre e o momento mais constrangedor deste primeiro episódio.

Diogo Morgado, protagonista de "Para Sempre". "Se tudo correr bem, não vão ficar do meu lado"
Diogo Morgado, protagonista de "Para Sempre". "Se tudo correr bem, não vão ficar do meu lado"
Ver artigo

Clara está entretida a fingir que percebe alguma coisa de solfejo e, de repente, o namorado aparece-lhe pelas costas, ajoelhado e de anel na mão. Os miúdos calam-se, Clara cala-se, Lourenço continua mudo.  Os miúdos gritam "a professora vai casar!", Clara manda-os dar uma volta ao bilhar grande e, acto contínuo, deixa o namorado — que continua com o raio do anel na mão! — a ver navios. Clara pega na mochila e ala que se faz tarde para a serra. Pobre Lourenço. Cheira-me que é aparentado com o capacho das clínicas Novais.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

A busca de Pedro pela mãe não está fácil. Também não ajuda ter contratado os piores detetives / hackers / sei lá o que é que eles são de sempre: Eva (Matilde Breyner) e Romeu (Rodrigo Tomás) têm como missão descobrir o paradeiro da mãe do patrão (spoiler alert: está em Braga). Uma missão facilmente concretizável, como se prova mais à frente, usando um recurso hiper-sofisticado chamado internet. O desaparecimento de um bebé em Braga exatamente no mesmo dia em que Pedro foi abandonado estava escarrapachado no "Diário de Notícias" e só dá vontade de gritar: "Ó Pedro, contrata-me!".

Já agora, existe algum dress code que obrigue as mulheres ligadas ao mundo da ciberespionagem a usarem roupa de cabedal e a terem um ar de quem nunca apanhou sol na vida? Dúvidas novamente.

E se Eva e Romeu são incompetentes, embora bem intencionados, já Pedro é de uma eficácia que nem parece verdade. Consegue despistar-se sem se matar e ir parar não às urgências de um hospital (como acontece no País real), mas sim a uma clínica privada, onde é atendido por nada mais nada menos do que Magda.

O objetivo é ir espiolhar os registos médicos da clínica em busca de uma prova do seu nascimento mas, azar dos azares, não há nada no computador de Magda. Já agora, alguém que recomende uma empresa de cibersegurança a esta gente, que isto de deixar computadores com informação confidencial assim ao abandono e sem palavra-passe é capaz de ser má ideia.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

Eis a matriarca Antónia Novais (Marina Mota) que, já percebemos, trata o filho Lourenço como lixo. Que sorte teve Pedro em não ter crescido com esta megera. Bento Sampaio de Menezes (Luís Esparteiro) é o pai de Clara e o "investidor que pode salvar as clínicas da lama". Mas só se a sua filha se casar com o filho de Antónia. Mas porquê?! Porquê?!!!!

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

"O que é que aconteceu? Foste à apanha da uva?", pergunta Antónia a Clara quando esta chega de mochila às costas. Já amamos esta mulher. #Antóniaforever

'Migas forever e flashbacks. Tantos flashbacks

Alice Barros (Inês Aires Pereira) é animadora de rádio e diz coisas tão profundas como "ai meninas, quem é que não quer dizer que sim ao seu príncipe encantado? Acreditem com muita força que esse dia vai chegar". Alice é um rebolar de olhos tão grande que faz a Emily de "Emily in Paris" parecer a Simone de Beauvoir.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

Claras e as 'migas Alice e Magda reúnem-se no estúdio de rádio para fazer uma prova de vinho (a entidade patronal deve adorar) e começam os flashbacks em barda. E é nestes regressos ao passado que percebemos todo o passado de Clara e Pedro. Tudo começou com um assalto (romântico). Ela é uma beta rica, ele é um meliante órfão. Ela arranja-lhe trabalho como trolha e são felizes... até ao dia em que deixam de ser.

Para Sempre - primeiro episódio
créditos: TVI

O pai de Clara descobre que a filha anda enrabichada com Pedro e, num confronto numa obra, há um terceiro elemento que é metido ao barulho e morre, resultado de uma queda acidental. Bento chega a um acordo com Pedro e este desaparece "para sempre". Mas, como a gente sabe, "para sempre" nas novelas é até ao próximo episódio.

Veja as fotos do primeiro episódio.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.