24 de fevereiro. Foi este o dia que marcou o arranque da invasão russa à Ucrânia e a data a partir da qual Volodymyr Zelensky marca presença assídua nos meios de comunicação social em todo o mundo. Vemo-lo em conferências de imprensa, ouvimo-lo em apelos ao mundo e acompanhamos, de perto, cada passo que dá enquanto líder de uma nação.

Já o vimos assumir as rédeas de um país em plena guerra, mas estamos prestes a vê-lo assumir a mesma posição num contexto bem diferente. Neste caso, em formato série e com comédia e sátira política na linha da frente.

NATO, G7 e do Conselho Europeu discutem guerra na Ucrânia. Conflito dura há um mês
NATO, G7 e do Conselho Europeu discutem guerra na Ucrânia. Conflito dura há um mês
Ver artigo

Leu bem. Isto porque antes de ser eleito presidente da Ucrânia, em 2019, depois de vencer Petro Poroshenko e Yulia Timoshenko com uma margem expressiva, Volodymyr Zelensky era um ator e comediante que se fazia passar por um político, na série "Sluga Naroda" (ou "O Servo do Povo", em português). E a produção ucraniana está de volta ao catálogo da Netflix.

Transmitida pela televisão ucraniana entre 2015 e 2019, e pela Netflix entre 2017 e 2021, a série cómica já está disponível no catálogo norte-americano da plataforma de streaming. "Vocês pediram e está de volta!", lê-se no anúncio oficial feito a partir do Twitter, na passada quarta-feira, 16 de março. Mas, atenção, temos boas notícias: ao que o "Correio da Manhã" apurou, também ficará disponível nos catálogos de outros países, incluindo Portugal, de forma progressiva, à medida que a tradução estiver concluída.

Ainda sem data de estreia confirmada, prevê-se que "O Servo do Povo" chegue à Netflix Portugal já nas próximas semanas. Até lá, importa referir que as três temporadas da série ucraniana já estão disponíveis na íntegra no Youtube, ainda que sem legendas disponíveis. 

Até à data, apenas o trailer oficial da série conta com legendas, apenas em inglês.

A realidade imitou a ficção

Na série, Zelensky interpreta um professor de História que se torna inesperadamente presidente da Ucrânia depois de um dos seus alunos o ter filmado a criticar, alto e bom som, a corrupção no país — e de o momento se ter tornado viral na internet. A série cómica tornou-se um fenómeno na Ucrânia, em 2015, depois de estrear no canal 1+1 e de ter sido transmitida na Bielorrússia e até no canal russo TNT.

No filme inspirado na série, "Sluga Naroda 2", a personagem de Zelensky chega a fazer referência a Vladimir Putin, mas os diálogos foram censurados antes de ser transmitido em território russo.

créditos: IMDb

Fora do ecrã, quatro anos depois, a história repete-se, desta vez  sem câmaras ou guiões. Zelensky acabou por se candidatar à presidência da Ucrânia justamente com um programa focado no combate à corrupção, na liderança de um partido chamado "Sluga naroda", título original da série, recorda o "Observador", com a ressalva de que a estreia da terceira temporada da série coincidiu com a campanha eleitoral na vida real e foi aproveitada por Zelensky como mecanismo de propaganda.

Ze, como era conhecido pelos apoiantes, acabou por cativar o público e protagonizar uma campanha política bem sucedida, embora polémica, financiada por um oligarca ucraniano investigado por fraude nos EUA. "1 de abril, que dia fantástico para vencer. Afinal sou um palhaço!", afirmou numa entrevista ao jornal "Ukrayinska Pravda", em plena campanha, em 2019.

Segundo o "Diário de Notícias", num país que ainda não esquecera os acontecimentos de 2014, quando o presidente pró-russo Viktor Ianukovich foi derrubado pelos protestos de rua pró-ocidentais na praça Maidan, em Kiev, a campanha leve de Zelensky convenceu os eleitores de que o presidente que viam no ecrã era mesmo o melhor para ocupar a chefia do país.

Depois de já ter admitido ter "a cabeça a prémio", muitos procuram perceber "quem é este louco que não foge"? Mas o que é certo é que, atualmente, Volodymyr Zelensky é reconhecido como um herói mundial, pela forma como tem conduzido a resistência ucraniana contra à invasão de Putin.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.