Se o inverno que Gonçalo Peixoto proporcionou às clientes foi mais "dark", parece que o verão vai voltar a ser colorido. É que o designer de Famalicão, no último dia desta edição da ModaLisboa, 8 de outubro, apresentou a coleção para as próximas estações e a passerelle do Pátio da Galé, em Lisboa, voltou a ser pintalgada por uma paleta de cores extensa e adornada com brilho.

Mais uma vez sem um conceito definido, a coleção foi motivada apenas pelas "vivências dos últimos meses", que serviram de combustível ao seu processo criativo. E, como já é hábito nas novidades das estações quentes do criador, a coleção de Gonçalo Peixoto deixa pouco à imaginação – afinal, é no verão que os corpos podem andar mais destapados.

"A minha coleção preferida de desenhar é verão. Há outra liberdade, pode ser muito mais sexy, pode ser muito mais transparente", confirma-nos. Por isso, não é de espantar que haja peças microscópicas, como tops, saias e calções (quase cuecas), bem como uma forte aposta em transparências, que ganham destaque nos vestidos e sutiãs.

ModaLisboa. Luís Carvalho voltou às origens com uma coleção sem género. Espreite os nossos looks de eleição
ModaLisboa. Luís Carvalho voltou às origens com uma coleção sem género. Espreite os nossos looks de eleição
Ver artigo

Mas também há uma novidade: as aplicações manuais de flores, algo que o designer nunca tinha experimentado antes. "Todas as flores que viram na coleção eram postas por cima do tecido", frisa, acrescentando que se trata de um trabalho manual minucioso e que vem distinguir estas peças daquelas que considera serem mais comerciais. Para isto, não descura que foi o jardim das avós que lhe serviu de mote.

Apesar disto, consistência continua a ser a palavra de ordem naquilo que Gonçalo Peixoto produz. Até porque, desde a última edição da ModaLisboa, em março, a frase que o guia pelos caminhos da criação continua a ser a mesma: "Sometimes I Just Wanna Kiss Girls" (às vezes só quero beijar raparigas, em português).

Percebemos completamente aquilo que alicerça este "state of mind", como lhe chamou anteriormente. Isto porque, mesmo que as suas peças possam "ser usadas por todos" e que tenha muitos clientes do público masculino, é com as mulheres que tem uma relação mais próxima e é por e para elas, também, que tenta criar aquilo de que "gostam e precisam". E nós bem sabemos de que as clientes, depois de assistirem ao desfile, vão precisar de ter esta coleção no armário rapidamente.

Veja a coleção.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.