Os últimos dias têm sido de muito frio e vieram relembrar os portugueses do que é o verdadeiro inverno. As temperaturas mínimas muito baixas fizeram com que o País estivesse sob aviso amarelo na primeira semana do ano de 2021.

Com este frio repentino, a pele é um dos órgão mais afetados e, por isso, há alguns cuidados que devemos ter em consideração nesta altura do ano.

Não é novidade para ninguém que no inverno a pele acaba por ficar sempre mais seca, sendo por isso necessário adotar cuidados redobrados de forma a mantê-la bonita e saudável. Apesar de, por exemplo, ser tentador tomar banho de água quente, visto que o frio assim o pede, este é um hábito “prejudicial à pele, agravando a sua secura”, começa por explicar a dermatologista Helena Toda Brito à MAGG.

Proteção Civil alerta a população para o frio — sopas quentes, cuidados na estrada e lareiras controladas
Proteção Civil alerta a população para o frio — sopas quentes, cuidados na estrada e lareiras controladas
Ver artigo

Segundo a especialista, a água quente tem o efeito de “emulsionar as gorduras”, removendo excessivamente a oleosidade natural da pele. Se o duche, além de quente, for demorado — outro hábito frequente nos dias mais frios — este efeito é amplificado, visto retirando ainda mais os óleos naturais da pele.

“Assim, ao invés de aquecer a temperatura da água do duche, é preferível aquecer a temperatura ambiente, de forma a tolerar um duche com água menos quente”, afirma Helena Toda Brito. Para além disso, a constante limpeza e desinfeção das mãos representa também uma forma de agressão para a nossa pele. Este é um hábito com o qual já nos familiarizamos e que é essencial tendo em conta o panorama atual, mas para evitar danos adicionais à pele devemos adotar alguns hábitos.

A lavagem das mãos, por exemplo, deve ser feita com água morna, utilizando um produto de limpeza suave, hipoalergénico e com pH neutro. "Segundo o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças, a temperatura da água não influencia a eficácia da lavagem no combate às infeções, pelo que se deve evitar água quente, que remove excessivamente os óleos naturais da pele e tende a secar mais a pele, sem trazer vantagem adicional em termos de proteção", refere a especialista.

10 mitos sobre cuidados de pele que precisam de ser explicados de uma vez por todas
10 mitos sobre cuidados de pele que precisam de ser explicados de uma vez por todas
Ver artigo

Após a lavagem das mãos, devemos também secá-las suavemente com uma toalha, apenas para remover o excesso de água e sem esfregar. Ao utilizar o gel desinfetante, devemos ainda ter cuidado de o aplicar sempre sobre as mãos secas, pois “a pele húmida predispõe-se ao desenvolvimento de reações irritativas ao desinfetante, estando desaconselhado molhar as mãos previamente à sua utilização”, afirma a dermatologista.

Depois de cada lavagem ou desinfeção devemos ainda aplicar um creme hidratante. “Quanto à escolha do creme, deve optar-se por um creme com uma textura rica e de composição simples, sem fragrâncias ou outro tipo de componentes potencialmente irritativos ou alergénicos como filtros solares ou agentes esfoliantes.”

Helena Toda Brito desaconselha também a utilização de acessórios como anéis ou pulseiras visto que estes, além de dificultarem a higienização, “podem acumular água e potenciar localmente o efeito irritativo dos produtos de higiene.”

Além das dicas já mencionadas, a especialista indica ainda alguns outros cuidados a ter com a pele no inverno para a manter bonita e, acima de tudo, saudável:

  • Os duches devem ser curtos (idealmente 5 a 10 minutos), usando água morna e um produto de higiene suave, que limpe a pele sem a agredir.
  • Limitar a exposição da pele ao frio, usando roupa quente, vestindo em camadas, e não esquecendo a utilização de luvas e cachecol. “O ar frio e seco e o vento forte contribuem para a secura da pele, pelo que é importante proteger a pele desses agressores.”
  • Evitar o aquecimento excessivo dos interiores e a aproximação excessiva das fontes de calor (ar condicionado, aquecimento, lareiras). “O ar quente e seco dos aquecimentos contribui para a secura da pele, devendo ser evitado.”
  • Aumentar a humidade do ar ambiente, utilizando humidificadores ou, em alternativa, espalhando plantas ou potes com água pela casa.
  • Utilizar cremes hidratantes de textura mais rica. “Da mesma forma que mudamos o nosso vestuário consoante a época do ano, idealmente também deveríamos ter esse cuidado relativamente aos cosméticos que utilizamos“, remata Helena Toda Brito.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.