"Homem grande, pénis pequeno". Este é um ditado que já deve ter ouvido pelo menos uma vez na vida. Mas e se substituíssemos a palavra "homem" por "carro"? De facto, seria mais fiel à realidade, uma vez que há estudos que dizem que os homens que têm um órgão genital uns centímetros abaixo da média tentam compensar com carros mais potentes.

Esta é uma conclusão do "Small Penises and Fast Cars: Evidence for a Psychological Link", um estudo desenvolvido por psicólogos britânicos da University College London (UCL). Esta pesquisa tinha como objetivo provar a relação direta entre o tamanho do pénis e o tipo de carro de que os homens gostam.

"Fizemos os participantes do sexo masculino acreditarem que tinham um pénis relativamente pequeno ou grande, dando-lhes informações falsas sobre o tamanho médio de outros homens", pode ler-se no estudo. Ou seja, os participantes dividiram-se em dois grupos – um deles ficou com a sensação de que o pénis perfeito mede, em média, 18 centímetros, o outro achava que 10 centímetros é que era o número da sorte.

"A Minha P*** Gigante". Homens com pénis XXL revelam que são discriminados e objetificados
"A Minha P*** Gigante". Homens com pénis XXL revelam que são discriminados e objetificados
Ver artigo

Depois de averiguados os resultados, os investigadores chegaram à conclusão de que os homens que acreditaram estar abaixo da média tentam compensar essa lacuna e escolhem carros melhores e mais potentes. E isto aplicava-se, especialmente, aos inquiridos mais velhos. "À medida que os homens passavam dos 29 anos, o efeito do tamanho do pénis em relação ao desejo de ter carros desportivos tornava-se mais forte", concluiu o estudo.

A amostra do estudo englobou 200 homens, com idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos, que receberam 1,50 dólares (1,38€) pelos oito minutos demorados a responder às perguntas, numa plataforma online. A par disso, esta experiência foi aprovada por um conselho institucional de ética.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.