A vacinação tornou-se um tema central e alvo de debate em tempos de pandemia, mas a verdade é que a informação passou a ser tanta (e nem sempre fidedigna) que se torna difícil, por vezes, saber no que confiar. Com o objetivo de garantir à população o acesso a informação correta, factual e idónea sobre o tema das vacinas, e combater assim a desinformação, foi lançada esta  quarta-feira, 23 de junho, a plataforma digital Imune.pt.

Vacinação de maiores de 18 anos começa no início de julho
Vacinação de maiores de 18 anos começa no início de julho
Ver artigo

O projeto do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa (IHMT – NOVA) liderado por Filomena Pereira, subdiretora desta mesma instituição, é uma plataforma de partilha e de cooperação científica e social que pretende chegar a todos os países de língua portuguesa com informação perceptível. Em entrevista à MAGG, Filomena Pereira explica a importância desta iniciativa em tempo de pandemia.

"Nunca foi tão necessária uma plataforma como esta. O que verificámos no Instituto e na Nova é que há tanta informação que as pessoas estão confusas e não sabem o que podem fazer, não só em relação à pandemia na globalidade, mas também em relação às vacinas e àquilo que se diz. Acho que é necessário que haja informação fidedigna baseada na ciência, confirmada e verificada e à qual as pessoas possam aceder a toda a hora", afirma a coordenadora geral da Imune.pt.

Para garantir todos estes aspetos, o conteúdo é produzido com o apoio de uma Comissão Editorial especializada, constituída pela equipa científica do próprio instituto, da qual fazem parte a investigadora auxiliar Ana Armada, o professor associado Celso Cunha, o professor associado Jorge Seixas e o investigador principal Philip J. Havik.

Imune.pt
créditos: Divulgação

Apesar de o objetivo ser que a plataforma tenha informação sobre todo o tipo de vacinação, para já, as publicações centram-se apenas na COVID-19. "O que tencionamos fazer é, assim que esta fase terminar, e as pessoas estiverem mais esclarecidas, começar a derivar para outros temas de vacinação", esclarece Filomena, referindo que nesta fase se verificou o aumento de pessoas anti-vacinação.

Youtuber Mariana Bossy lança paródia para alertar os mais novos sobre vacinação
Youtuber Mariana Bossy lança paródia para alertar os mais novos sobre vacinação
Ver artigo

"Por ser tudo desconhecido e muito rápido, as pessoas tiveram medo de que as vacinas não fossem seguras. Cada um tem a liberdade de tomar a decisão que entende, mas essa liberdade, na minha opinião, é muito condicionada pela dos outros. Em relação à vacinação, quando não nos vacinamos, estamos a prejudicar todo um esquema de saúde pública e aí temos de ter algum cuidado", alerta a especialista.

"O que queremos é esclarecer as pessoas e mostrar que as vacinas são seguras, foram estudadas e passam por muitos processos de aprovação, independentemente do processo ter sido mais rápido ou não. E mais do que isso, as pessoas devem ter consciência de que tomar a vacina é sempre melhor do que não tomar ", continua.

Na plataforma digital Imune.pt, pode assim encontrar um menu apenas sobre "Vacinação" (que disponibiliza informação sobre o tema das vacinas, respetivos benefícios, contributos para a saúde global e mecanismos de aprovação e segurança); há ainda uma área reservada ao tema da "COVID-19" (onde é possível ter acesso a informação detalhada sobre as vacinas desta área, como se transmite o vírus, que variantes existem e quais as medidas de prevenção mais eficazes); uma área de "Respostas Diretas", outra  "À Descoberta" (onde são disponibilizadas notícias e curiosidades sobre vacinação) e, por fim, uma área intitulada "Epidemias em Imagem", que partilha uma visão sobre a história das epidemias e da imunização.

Para obter informação que ainda não consta na plataforma, pode sempre enviar as suas dúvidas para informacao@imune.pt. Filomena Pereira garante que as perguntas serão respondidas, dentro das possibilidades, e tidas em conta para publicações futuras.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.