Imagine uma plataforma que reúne todos os espaços de beleza, de wellness e de fitness da cidade. Uma plataforma que vá buscar características de uma Zomato, de uma Odisseias, de um The Fork ou ainda de um Facebook. Uma plataforma que permita consultar uma listagem com todas as possibilidades (e aceder a informação útil), que deixe consultar avaliações, deixar comentários, partilhar recomendações, fazer reservas e até pagamentos.

Imagine que a esteticista à qual vai há anos não tem agenda livre naquele dia e que consegue, imediatamente, explorar outras alternativas, sem correr o risco de entrar num sítio às cegas, sem saber bem o que é que dali vai sair.

Link. Já existe um “LinkedIn dos influenciadores” e foi criado por portugueses
Link. Já existe um “LinkedIn dos influenciadores” e foi criado por portugueses
Ver artigo

Aquilo que até aqui fica na dimensão da imaginação está prestes a saltar para o espectro da realidade, com o lançamento da plataforma digital SheerMe. A ideia para este agregador de serviços nas áreas da beleza e do bem-estar já vinha a ser desenhada por Miguel Alves Ribeiro há dois anos, com o esboço a ser criado nos tempos em que ainda ocupava o cargo de country manager da Zomato (plataforma de pesquisa e de consulta de restaurantes) em Portugal, empresa de onde saiu em maio de 2020 para se aventurar neste novo projeto.

Não foi a primeira experiência de Miguel Alves Ribeiro — formado em marketing e com experiência na área da telecomunicações — na digitalização da oferta gastronómica, na área da foodtech. "Há dez anos lancei primeira plataforma de restaurantes, o Best Tables que é hoje o The Fork. Há dez anos vimos que os restaurantes tinham a noção de que precisavam de dar este passo para o digital, mas não sabiam fazer a transição. Nesta área [beleza e bem-estar] é igual: hoje a pegada digital é maior, mas não houve nenhuma empresa ou plataforma que os ajudasse nesta transição", explica à MAGG o criador da SheerMe, natural de Lisboa, que esteve também por detrás do lançamento da Zomato Gold.

miguel

Depois de estudar aquilo que já existia no mercado, Miguel Alves Ribeiro concluiu que, apesar de já haver algumas plataformas digitais relacionadas com serviços de bem-estar, não havia ainda "um agregador, um ecossistema" que fornecesse informação e que facilitasse o acesso a espaços de beleza, de wellness e de fitness. "O que pretendemos é criar uma comunidade que una todas as pessoas que valorizam as experiências de beleza e do bem-estar. Queremos juntar profissionais e clientes numa única plataforma e criar um ecossistema único de comunicação e serviços neste meio.”

A SheerMe vai incluir serviços das seguintes áreas:

  • Wellness: hotéis com spa, spas, termas, medicina alternativas, pré-natal, etc;
  • Beleza: cabeleireiros, estéticas, barbeiros, massagistas, tatuadores, etc;
  • Fitness: ginásios, estúdios de yoga, meditação, personal trainers (páginas de perfil e serviços), nutricionistas, etc.

A escolha da área do serviço desejado é o primeiro passo na utilização da SheerMe, que ficará disponível em versão web e mobile. Depois, através das recomendações, avaliações, experiências passadas e até fotografias, a etapa seguinte é escolher o local exato (que pode ir desde a cadeia mais conhecida, ao pequeno negócio de bairro), apontando o dia, a hora, o profissional para se finalizar a reserva. Os preços são definidos pelos espaços.

A data de lançamento da SheerMe estava marcada para setembro, mas a pandemia veio acelerar o processo e antecipar o nascimento da plataforma. É que apesar de a COVID-19 ter criado circunstâncias catastróficas para muitos setores que vivem do presencial, pode ter dado um boost à esfera virtual.

sheer me
A imagem poderá não corresponder à versão final da plataforma

"Já tinha feito o meu trajeto na Zomato e estava na hora de lançar-me sozinho, de criar a minha própria startup. Tinha em mente que teria de fazer isto até setembro, mas com a pandemia, com a maior utilização da internet, tive a confirmação de que o momento era agora. Hoje é preciso fazer reservas prévias em salões de beleza, é preciso marcar treinos em ginásios, sem esquecer que muitos personal trainers estão a apostar em treinos online e em modelos mais personalizados. Os pagamentos online também vieram ganhar muita força."

Assim, é já a 15 de junho que este ecossistema de bem-estar ganha vida, primeiro na região de Lisboa, prevendo-se a expansão para o Porto e para outras cidades portuguesas nos próximos meses.

Numa primeira fase, a plataforma vai contar com listagem dos espaços, campo para dar opiniões e avaliação. Também começará a ser possível fazer marcações e fazer pagamentos,  funcionalidade que será afinada no correr dos próximos tempos, com mais espaços a aderirem a esta possibilidade. "Até ao final do mês penso que já tenhamos número razoável."

sheer me

O passo seguinte é aumentar as possibilidades do feed e no perfil de cada utilizador, desde a partilha dicas à publicação de videos. Está ainda nos planos incluir serviços complementares, como oferecer vouchers através da plataforma, vender produtos e serviços específicos, como workshops online ou produtos específicos, no caso dos cabeleireiros, por exemplo.

Miguel não só criou a app como vai ser um dos muitos utilizadores: "Tenho 45 anos. Estive dez anos a trabalhar na área do foodtech e engordei dez quilos", brinca. "Com a mudança de década decidi que tinha de mudar alguma coisa na minha saúde, que queria dedicar-me mais a mim. O momento foi oportuno."

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.