Não há outra maneira de dizer isto: ninguém está preparado para o final de "A Teoria do Big Bang" com a 12.ª temporada, que tem estreia marcada para 24 de setembro. É que a série tornou-se num fenómeno cultural ao ponto de fazer com que fãs e não fãs andassem pela rua a gritar "Bazinga", a frase icónica de Sheldon (Jim Parsons), uma das personagens mais importantes da sitcom norte-americana.

A decisão foi anunciada na quarta-feira, 22 de agosto, através de um comunicado oficial da CBS — que além de agradecer aos fãs o sucesso da série, promete um final "épico e criativo". A série criada por Chuck Lorre  e Bill Prady é já uma das grandes premiadas com sete prémios Emmy e 46 nomeações. Jim Parsons, o ator que dá vida a Sheldon Cooper, venceu em 2010 e 2011 o prémio de Melhor Ator em Série de Comédia.

Apesar de ainda não existir data prevista para a chegada dos novos episódios a Portugal, não há como fugir ao inevitável. "A Teoria do Big Bang" vai mesmo acabar.

A MAGG reuniu as 9 curiosidades da série que marcou uma geração.

Grande parte do elenco é composto por músicos talentosos

Além de serem autênticos nerds, fator essencial para terem conseguido um papel na série, vários dos autores são também músicos e compositores multifacetados. Três deles, no entanto, destacam-se pela capacidade de desde muito cedo terem sido capazes de tocar um instrumento musical a nível profissional.

É o caso de Johnny Galecki ("Roseanne") que desde criança sabe tocar violoncelo, assim como Jim Parsons ("Um Coração Normal") e Mayim Bialik ("Eternamente Amigas") que dominam o teremin e a harpa, respetivamente, e que tocaram várias canções em alguns dos episódios da série.

As 20 melhores séries feitas até agora que tem mesmo de começar a ver
As 20 melhores séries feitas até agora que tem mesmo de começar a ver
Ver artigo

A atriz que faz de Amy é um pequeno génio fora da televisão

Mayim Bialik é a atriz que dá vida a Amy Farrah Fowler na série, uma mulher muito inteligente e especializada em neurociência que, ao longo dos episódios, se vai tornando na paixoneta de Sheldon (Jim Parsons).

Fora da ficção, e tal como a personagem que interpreta, a atriz é doutorada em neurociência e tem ainda especialização noutras áreas, como Estudos Hebraicos e Estudos Judaicos.

A série não era suposto chamar-se "A Teoria do Big Bang"

Ainda numa fase inicial de produção, o título escolhido para a série era completamente diferente do nome por que viria a ser conhecida. "Lenny, Penny e Kenny" foi considerado pelos estúdios de produção até que chegaram à conclusão que não era um nome tão forte como "A Teoria do Big Bang".

O pitch da série ao canal foi tudo menos convencional

Geralmente são os criadores da série, em conjunto com os argumentistas, que se deslocam até aos estúdios do canal com uma visão detalhada daquilo que querem que seja a história e as personagens da série. O pitch de "A Teoria do Big Bang" foi muito diferente.

Os criadores Chuck Lorre ("Dois Homens e Meio") e Bill Prady ("Related") escreveram um guião inicial, contrataram alguns amigos para dar vida às primeiras cenas da série e apresentaram uma espécie de peça de teatro aos dirigentes da CBS. "Foi diferente, mas resultou", recordou Chuck Lorre em entrevista à revista "Variety".

Chegou a existir uma cópia descarada da série

Na Bielorrússia chegou a existir uma série chamada "The Theorists" que contava com quatro personagens cientistas chamadas Sheldon, Leo, Hovart e Raj, assim como uma personagem loira chamada Natasha que vivia ao lado dos cientistas nerds.

As filmagens foram rapidamente canceladas assim que os atores da série original se aperceberam do plágio. Apesar do cancelamento, a produtora acusada de copiar revelou não ter conhecimento da existência de "A Teoria de Big Bang".

Há uma espécie de abelha com o nome da palavra mítica usada por Sheldon

Foi em 2012 que um grupo de cientistas descobriu uma nova espécie de abelha no Brasil a que chamou Euglossa Bazinga, como tributo à famosa palavra ("bazinga") que é dita por Sheldon em vários momentos da série. Na altura, o cientista responsável pela descoberta contou à CBS que "a palavra era uma homenagem à personagem que usava 'bazinga' quando queria enganar alguém".

O que queremos que mude na terceira temporada de "True Detective"
O que queremos que mude na terceira temporada de "True Detective"
Ver artigo

"Neste contexto, a abelha Euglossa Bazinga enganou-nos durante vários anos por ser muito semelhante a outra espécie de abelha (a E Ignita), e isso foi mais do que suficiente para escolher este nome", continuou. Curiosamente, a personagem Sheldon é alérgica a abelhas.

O ator que faz de Sheldon não é assim tão nerd

Embora na série a personagem seja caracterizada como o Rei do Universo Geek e um especialista em livros de banda desenhada, a verdade é que na vida real o ator não é assim tão nerd como se pensa. Além de não ser fã de nenhuma das séries de televisão preferidas da personagem, o ator também não está a par de nenhum dos fenómenos de cultura pop.

Em entrevista à revista "Time", Jim Parsons revelou que não percebe nada de ciência apesar de ser abordado muitas vezes na rua sobre o tema. "Vou ser muito franco: muitas vezes fazem-me perguntas científicas em que eu fico a pensar que estão a gozar comigo. É que eu não não percebo nada do meio nem sigo os fenómenos da pop cultura... não vi Star Trek nem sei o que é ou quem é o Doctor Who."

Os três pisos da casa são um só set com decorações diferentes

Os episódios vão alternando entre vários planos e um deles é o quarto dos rapazes que estão acessíveis através de um elevador. Mas na verdade o que existe é apenas um quarto que vai mudando de adereços decorativos consoante a necessidade e a cena a ser gravada.

"This is Us" e outras 8 estreias da televisão para setembro
"This is Us" e outras 8 estreias da televisão para setembro
Ver artigo

Isto significa que não existe um elevador nem os três pisos do apartamento que vemos serem simulados na séries. Isto obrigou a equipa de produção a um esforço redobrado de maneira a fazer o set parecer diferente para as várias cenas do guião.

A série foi renovada por três temporadas duas vezes

É talvez a curiosidade mais insólita em redor do universo de Sheldon e companhia. Depois do final da quarta temporada, que estreou em 2010, o canal de televisão renovou a série por mais três séries de episódios. Pouco tempo depois, a CBS voltou a renovar para mais três temporadas e garantiu, assim, que "A Teoria do Big Bang" continuaria em emissão até 2017 com 11 temporadas.

A 12.ª tem estreia marcada para 24 de setembro e será a última da série.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.