Para Ricardo, António é "um tipo de pessoa que não faz sentido". Já o lisboeta acredita que o colega não sabe "viver em comunidade". Estas foram algumas das frases trocadas pelos dois concorrentes, que viveram momentos tensão na casa do "Big Brother" na tarde de segunda-feira, 22 de novembro.

Ana Morina assume personagem no "Big Brother". "Extrapolei ao máximo tudo aquilo que podia"
Ana Morina assume personagem no "Big Brother". "Extrapolei ao máximo tudo aquilo que podia"
Ver artigo

Ricardo devia "dar menos importância à opinião dos outros" e quem o afirma é António."Uma pessoa critica-o e, como ele [Ricardo] é tão perfeito, é porque a outra pessoa não sabe fazer outra coisa senão criticar", disse o lisboeta, dirigindo-se ao colega.

"Não sei o que queres que te diga mais, queres que te diga que és banhado a ouro? Que deves cheirar a água de malvas? Eu não me identifico com a tua maneira de ser, mas consigo ver coisas boas. Se não são mil e uma coisas boas e são só três ou quatro, pronto, aceita."

O comissário de bordo pediu-lhe para guardar "as pedras no saco", mas António perdeu a paciência: "És tão básico que ainda não te entrou, depois de mil e uma vezes eu te ter dito 'não me identifico contigo' e esse é o problema. E tu continuas a achar que é porque eu só sei atacar."

Ricardo explicou que o companheiro se revelou "uma pessoa completamente diferente" do que achou no início do jogo e alegou que este sente uma grande "dificuldade" em "falar bem de uma pessoa". "Relaxa, se as pessoas estão-te a criticar não tem que ser uma crítica destrutiva, são, muitas vezes construtivas, que tu, em vez de assimilares (...) ainda fazes pior, ainda tentas aparecer mais", afirmou António. O comissário de bordo não gostou, acusou-o de inventar "uma novela na cabeça" e foi assertivo: "O António é aquele que está com palas nos olhos em relação a mim. (...) Achas que eu preciso de ti [António] para ser feliz?"

O jovem de Lisboa mostrou-se incomodado por ser "o mau da fita", sabendo que há colegas que partilham da mesma opinião. A discussão surgiu na sequência de um debate sobre uma dinâmica proposta por Ricardo, na semana passada, na qual os concorrentes tinham que se elogiar uns aos outros. "Ainda que eu não goste dele [António], ainda que eu não consiga lidar com ele, porque não é o tipo de pessoa que me identifique, consigo elogiá-lo, porque acho que elogiar não é assim tão difícil", afirmou Ricardo.

Para António, o comissário de bordo "gosta de ser líder", mais do que os restantes concorrentes. Questionado pelo anfitrião da casa se o colega procura protagonismo, o lisboeta não deu certezas. "Acho que o homem não relaxa, está sempre tenso. Soa-me tudo muito forçado."

Num outro momento, os dois participantes envolveram-se num novo atrito quando se discutia a necessidade de Ricardo de receber a "validação" dos colegas. Apesar de o ter confirmado, o comissário de bordo garantiu que umas das teorias mais "estapafúrdias" que lhe disseram foi que não sabia "viver em comunidade".

António, alegado autor da frase, riu-se e afirmou que continua a "subscrever" a ideia. "Se calhar, se não procurasses tanto a perfeição aqui dentro, as coisas iam-te correr melhor", começou por explicar o lisboeta, mas Ricardo negou, defendendo-se. "Procuro que as pessoas se sintam bem comigo". Imediatamente, António interrompeu: "Por isso é que te tornas incomodativo. E não é só para mim, lamento."

A conversa desenrolou-se com os pontos de vista dos restantes concorrentes e Ricardo acabou por esclarecer que não pretende aproximar-se de António, ainda que lhe reconheça "coisas boas". "Não quero dar-me com uma pessoa que expulsava o Rafael porque tem uma 'dinâmicazinha' da treta, que é um teatro, para fazer com a [Ana] Morina. (...) É um tipo de pessoa que não faz sentido para mim. E eu não quero ser amigo dessa pessoa." Depois de lançar um riso irónico, António acabou por assumir que não gosta da postura do comissário de bordo.

Mais tarde, em conversa com Ana Barbosa, explicou que desistiu de se dar com Ricardo e apelidou-o de "básico". "Exalto-me, porque às vezes parece que estou a falar com uma parede. E não é de pladur, que ao menos de pladur atravessava". Num outro momento, também com a emigrante, assegurou que não deseja mal a Ricardo, mas gostava que o colega aceitasse as críticas como "construtivas". "Há alturas que eu acho que ele faz-se um bocado de coitadinho aqui [na casa do "Big Brother"]." António voltou a frisar que não se identifica com Ricardo, mas confessou que o seu "mau feitio" joga contra si.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.