Alguma coisa se passa com Formentera. É que quem para lá viaja já não partilha só as praias paradisíacas de água límpida, a areia tão branca que parece que levou Tide e as palmeiras que parecem ter nascido para entrar na fotografia. Os restaurantes são outro dos focos da lente, em especial um: o A Mi Manera.

O nome ser-lhe-á familiar se esteve atento ao Instagram nos últimos dias, uma vez que por lá andou, e comeu, a influenciadora Ana Garcia Martins, conhecida como A Pipoca Mais Doce (local por onde já tinha passado em setembro de 2021).

Ainda que as publicações nas redes sociais se foquem na decoração mágica do restaurante, afinal, há mesmo algo que se come aqui e sobre o qual vamos falar.

Além do A Mi Manera, há outros restaurantes célebres e fotogénicos, resta saber se valem o dinheiro. As conclusões ficam para si e pode avaliar consoante um critério: ficou com água na boca ou não?

1. A Mi Manera

Começamos então pelo mais famoso e instagramável restaurante de Formentera, que já teve a visita de Ana Garcia Martins, Sofia Ribeiro e Tânia Martins (arquiteta mais conhecida pela página Homestories): o A Mi Manera, situado em Sant Francesc de Formentera.

O restaurante tem outro encanto quando chega a noite, altura em que pequenas luzinhas são acendidas para dar um ambiente ainda mais mágico e intimista, e também porque por esta altura veem-se melhor as luzes néon que dizem "A Mi Manera" na parte superior de uma porta instagramável que é como a entrada para este mundo gastronómico à maneira do restaurante de Formentera.

Que mundo é esse? É feito de pratos da grelha, outros italianos, mais alguns do mar e sobremesas de arregalar os olhos. Os pratos incluem legumes frescos da horta do restaurante e peixes gourmet do mar da ilha Baleares espanhola.

Entre as opções há então ravioli recheado com abobrinha e queijo Provolone Mônaco e servido com pesto Genovese, risotto com caviar, peixe do dia na grelhado e acompanhado de beringela caponatina e burrata, e pluma Ibérica na grelha de "aroma de carvalho e oliveira" (seja lá o que isso for). Para sobremesa é de ficar louco só com a descrição que diz "creme de mascarpone, com molho de caramelo salgado" e curioso com o cubo de gelado A Mi Manera.

E preços atualizados? Não estão em lado algum (site do restaurante, The Fork, fotos no TripAdvisor, destacados no Instagram — corremos tudo), mas por um risotto com caviar e um simples acompanhamento de puré de batata trufada, é coisa para ter vários dígitos. Mas, nem que seja pelas fotos, vale a pena.

2. Es Molí de Sal

"Provavelmente o restaurante mais emblemático da ilha Formentera", anuncia o Es Molí de Sal, em La Savina. O que é duvidoso, porque o mesmo se pode dizer do A Mi Manera. Ainda assim, decidimos espreitar a oferta deste restaurante à beira mar, com vista para a praia de Illetes e para o porto de La Savina.

Começamos a concordar com a afirmação só pela história que dá ambiente ao Es Molí de Sal: foi construído num antigo lagar pertencente à indústria do sal de Formentera e que nunca falte sal no espaço que tem agora uma cozinha na qual são preparados pratos típicos do local e cozinha mediterrânica.

A ementa (esta já com preços) foca-se no peixe, como é o caso dos tártaros e carpaccios, como o de carpaccio de gambas de Formentera (33€) e o tártaro de atum rabilho (conhecido como um dos peixes mais caros do mundo), com algas e chipotle, um tipo de pimenta seca (37€) — e para começar não se faz a coisa por menos.

Ao avançar na carta encontra-se burrata com marmelada de tomate, azeitonas negras e rúcula (28€) e croquetes caseiros de carabineiro (24€). Ainda para picar e nos principais entram as paellas, como a de lagosta (105€), as pastas, como o esparguete com amêijoas (38€), e há ainda um best seller: lagosta frita, com ovos e sobrassada (215€/kg).

As sobremesas não são apresentadas na carta, mas a verdade é que deverá ser difícil chegar a estas depois de tanto petiscar e deliciar no principais. Delicie-se também com as fotografias da refeição que dá cabo do orçamento das férias só para comer paella com lagosta.

3. Molo 47

Indecisos entre falar sobre o Molo 47 e o Ca Na Joana, tivemos de optar pelo primeiro por uma razão muito simples: apesar de o restaurante de nome português ter das fotografias mais instagramáveis, não tem a descrição do que são os pratos, nem a carta em lado algum, pelo que só a imaginação nos poderia ajudar a descrever a fotografia que se segue.

Uma espécie de sardinha assada à moda de Formentera no Ca Na Joana? Não sabemos, mas temos a certeza que ia numa dentada.

Já o Molo 47, em La Savina, descreve, e bem, com preços, cada iguaria que serve no restaurante. Ele é o caranguejo real gratinado com leite de tigre e gel de yuzu (45€), a gyoza de porco, camarão e molho de amêndoa (28€), a garoupa com miso de tomate e pó de berinjela (32€) ou a seleção de sushi do chef Antonio D'angelo (35€).

As influências asiáticas continuam desde as tempuras às sopas e terminam com uma sobremesa composta por cheesecake japonês acompanhado de gelado de chá matcha (10€). Já do México há rainbow tacos (15€) — seja lá o que isso for, não nos importávamos de experimentar só para estarmos sentados no restaurante que faz parte do guia Michelin de Espanha.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.