Se em tempos a vontade de viajar implicava meter-se num avião e sair do País, com a pandemia aprendemos, cada vez mais, a dar valor ao que temos em Portugal. Conhecemos sítios onde nunca tínhamos ido, provámos iguarias que julgávamos não existirem e percebemos que ainda há muito mais para conhecer, especialmente quando falamos em gastronomia.

Pergunte a qualquer turista, qualquer que seja a sua origem, quais as coisas de que mais gosta em Portugal. A primeira resposta será, provavelmente, o clima, a segunda? A comida. Este é um País que gosta de bem servir em todas as regiões e onde a criatividade e imaginação para conjugar sabores e texturas parece não ter limites.

É na região Viseu Dão Lafões que encontramos algumas dessas iguarias. Começando por Viseu, a terra de Viriato e que tem, inclusive, um doce regional em sua homenagem. Um doce em forma de V feito com uma massa especial cujo segredo está bem guardado, este bolo é recheado com doce de ovos e regado com uma camada de açúcar granulado antes de ser servido.

Mas ainda antes dos Viriatos, há que encher o estômago com alguns dos melhores pratos tipicamente beirões. É o caso do famoso Rancho à moda de Viseu cuja receita, segundo as lendas, foi criada durante a Guerra Civil entre liberais e absolutistas. Um dos comandantes de um regimento que estava albergado na região pediu que se preparasse uma refeição com todos os ingredientes disponíveis para alimentar as suas tropas. O resultado? Um caldo rico e saboroso que combina ingredientes como o grão de bico, o macarrão, a vitela e a couve.

E por falar em vitela, este é também um dos pratos mais procurados nesta região. É em Lafões que encontra alguns dos melhores restaurantes onde se serve Vitela Assada, ou Cabrito da Gralheira, para que possa provar um pouco de tudo o que a região tem para oferecer a nível gastronómico.

Se é dos que prefere peixe, rume até à zona de Vila Nova de Paiva, onde não pode deixar de provar as trutas, pescadas ali mesmo, no Rio do Paiva. Geralmente, são servidas em molho de escabeche. Não come carne nem peixe? Também não falta um prato típico. Chama-se Arroz de Míscaros, uma espécie de cogumelo silvestre que cresce nos pinhais em Sátão.

Para quem gosta de sobremesas e de petiscar, a Maçã Bravo de Esmolfe, com o seu sabor ímpar, é obrigatória, para os mais gulosos, os pasteis de feijão do patronato, as castanhas de ovos ou os famosos pastéis de Vouzela, são a opção ideal. Se é dos que aprecia um bom queijo ao final da refeição, então vai ser difícil resistir ao Queijo Serra da Estrela, um dos mais conhecidos do País, com a sua textura amanteigada feita a partir do leite de ovelha bordaleira.

Se em Viseu Dão Lafões a gastronomia é rainha, o vinho do Dão é rei à mesa

É entre as montanhas da região Centro, a mais de 400 metros de altitude, que crescem as vinhas da Região Demarcada do Dão, que dá origem a alguns dos melhores vinhos que pode provar em todo o País. É ali, no alto daquelas montanhas, que protegem as vinhas dos ventos que vêm de serras como a do Caramulo, que são produzidos vinhos com técnicas únicas e que foram passando de geração em geração.

Visitar a região Viseu Dão Lafões pede, sempre, um copo de vinho à refeição. Seja ele um tinto, geralmente mais aveludado e encorpado, com sabores complexos a frutas maduras, ou até mesmo um branco frutado, suave e fresco. Os rosés, também eles leves e frescos, têm um aroma frutado mas com um toque floral, já os espumantes de bolha fina têm, também eles, aroma a frutas.

Para ter a oportunidade de provar os diferentes vinhos desta região, terá de explorar a Rota do Vinho do Dão, que conta com 42 pontos de interesse e que se divide em cinco roteiros diferentes. Esta proposta permite descobrir diferentes quintas, solares e adegas, onde poderá provar alguns dos vinhos de castas de vinhos tintos como o Touriga Nacional o Jaen ou o famoso encruzado nos brancos.

Se está a pensar viajar para esta região nas próximas férias, conheça alguns dos melhores pratos típicos e vinhos que pode provar durante a estadia na fotogaleria.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.