Madalena é uma mulher portuguesa de alta sociedade, mas também uma mulher do mundo. É jovem, irreverente, uma pessoa atual. E como qualquer pessoa atual, tem influência daquilo que foi o passado e o período romântico. Gosta de moda, de boa comida e de bem receber. No fundo, é um bocadinho de todos nós.

"Queríamos que, ao entrar aqui, houvesse um pouco para cada pessoa. Se uma pessoa for mais clássica, vai procurar as coisas mais clássicas. Se for mais contemporânea, procura um outro lado", diz à MAGG Nini Andrade Silva, responsável pelo atelier com a sua assinatura e pela decoração do novo hotel do grupo The Beautique Hotels (TBH). "Um hotel tem que ser um lugar que dê para todos e onde cada um olha para um sitio e vê o que quer ver".

E é assim que nasce o Madalena Beautique Hotel, inaugurado esta quinta-feira, 17 de janeiro. E porquê a escolha deste nome? Porque o novo espaço fica precisamente na rua da Madalena, em plena Baixa da cidade. No dia da abertura a MAGG passou por lá, e conta-lhe todos os detalhes — que, já agora, é coisa que não falta no novo hotel da cidade. Antes disso, vamos apenas referir os básicos: há 38 quartos distribuídos por cinco pisos, um restaurante que serve pratos da cozinha internacional e o terraço.

Agora sim, vamos lá.

Antes de se fixar nesta rua, as obras de recuperação do edifício onde nasce agora o novo hotel tiveram de ser adiadas. Madalena não é só uma viajante do mundo, como do tempo, porque no local onde ia construir a sua nova casa, foram descobertos vestígios do terramoto de 1755. Só depois de registados é que foi possível dar início à construção. A abertura foi assim obrigada a chegar mais tarde, mas acabou por acontecer no primeiro mês de 2020.

A decoração do novo hotel inspirado na mulher portuguesa

Madalena não tem só a perna cruzada nos centros de mesa ou no teto de um dos espaços do hotel. Logo à entrada deixou um dos seus vestidos de cetim e decidiu pintar o bar de tons rosa de forma a dar um toque de paixão e pureza da mulher portuguesa, ao qual juntou o dourado para um apontamento de beleza e luxo. Os sapatos, esses ficam espalhados por todo o lado e não se poupam a brilhos, cores fortes e saltos pontiagudos.

Nos quartos, 38 no total, a exigência desta Madalena não é diminuída. A começar pela porta, não há as habituais placas em cartão para identificar quando é que os funcionários podem ou não entrar. Essas são substituídas por uma luz verde e vermelha, consoante a permissão para entrar.

No interior, as chávenas num estilo antigo têm flores em cores suaves, tal como aquelas que estão na carpete que cobre todo o quarto, parecendo até que pisamos pétalas. 

"Quisemos pôr uma mulher que dormisse nas pétalas e quando digo uma mulher, são pessoas que gostam de sensações diferentes. É um ser humano que gosta de estar a dormir nas pétalas, que gosta de glamour. Isto aqui tem muito dourado, muito brilho. Tem um pouco de tudo", diz a designer de interiores Nini Andrade Silva.

Mas quem é Nini Andrade Silva? À semelhança de Madalena, é "uma cidadã do mundo", mas as raízes estão na Madeira, que se nota bem no sotaque. É também a mulher por detrás do nome do Atelier Nini Andrade Silva, com 50 membros na equipa, que já decorou os outros dois hotéis do grupo: o Figueira Beautique Hotel e o WC Beautique Hotel, com uma decoração própria e irreverente.

Pela terceira vez, Nini aceitou o desafio e ficou responsável pela decoração do novo hotel. Já o gabinete Saraiva + Associados ficou encarregue da arquitetura.

Restaurante "Madame"

Voltamos agora à Madalena. Sabemos que é viajada, mas não podia ser uma mulher portuguesa. Não só pelo facto de gostar de receber pessoas em casa, neste caso no seu restaurante, mas também pelo gosto colecionar sapatos, sempre portugueses.

"Como a nossa indústria dos sapatos é das maiores indústrias portuguesas, resolvemos fazer uma Madalena que gosta muito de sapatos. Então vamos ter aqui exposições com designers portugueses", refere Nini.

A completar o look dos sapatos, a saia da Madalena dá forma ao restaurante e transmite sensualidade e um sentido provocador desta mulher portuguesa.

Para a cozinha do restaurante "Madame", Madalena levou a gastronomia dos vários países que visitou pelo mundo. "Daí o mix de pratos que podemos encontrar na carta. Asiáticos, italianos, etc.", conta à MAGG Vera Rosado, diretora-geral do grupo The Beautique Hotels, acrescentando que hóspedes, locais e passantes podem experimentar a comida do restaurante.

Novos projetos

"A próxima abertura vai ser o hotel dos Reis, que é mesmo em frente ao hotel WC. À partida, não sei se por acaso posso dizer, mas acho que sim [risos], vai ser alusivo aos reis", confessa à MAGG a diretora-geral do grupo, e revela ainda que mais uma vez a decoração vai estar a cargo do Atelier Nini Andrade Silva.

No futuro, o grupo vai ainda expandir o hotel WC — dos 41 quartos atuais para 83 — e vão surgir mais dois projetos em Lisboa: "Desses é que ainda não posso falar, mas já estamos a pensar neles", diz Vera Rosado.

Vai nascer ainda o primeiro projeto fora da capital: o Beautique Hotel vai seguir para o Porto, também com uma localização premium, como a própria diretora do grupo adianta. "Deixámos de ser um hotel. Neste momento somos já uma marca, que é The Beautique Hotels", conclui.

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.