Bem-vindo ao maravilhoso mundo dos vídeos de treino online, essa incrível esfera que nos faz pensar "ginásios, para quê?". É uma ferramenta verdadeiramente útil, sobretudo agora em período de confinamento.

Primeiro, porque são rápidos: em 15 minutos, pumbas, treina-se o rabo, treina-se a barriga, põe-se o coração a bombar e, acima de tudo, sente-se o tão real sentimento de bem-estar induzido pela libertação das endorfinas, essas hormonas relaxantes. Depois, em termos psicológicos, e principalmente para quem está a começar (ou é preguiçoso), ajuda muito saber que o treino é curto. Deixa de haver desculpas possíveis. Afinal, é só um par de minutos, que pode fazer logo de manhã, numa pausa do trabalho, à hora do almoço, ao final do dia ou mesmo antes de entrar no banho. Por último, mas não menos importante, não é preciso muito espaço ou qualquer tipo de material para os fazer.

O treino perfeito para fazer em casa dura 10 minutos — e trabalha o corpo todo
O treino perfeito para fazer em casa dura 10 minutos — e trabalha o corpo todo
Ver artigo

Mas a avalanche de videos na internet pode configurar um obstáculo, porque corre-se o risco de não se saber por onde começar. É para isso que cá estamos: a australiana Chloe Ting é a rainha do treino em casa, com vídeos que contam com muitos milhões de visualizações e com propostas de poucos minutos, mas intensas e para todo o corpo. Confissão: é a nossa preferida. Mas há mais soluções: o Pop Sugar também tem muitas fórmulas, assim como Pamela Reif ou a plataforma Well + Good.

Para o corpo todo, para os abdominais e para o rabo, conheça estes nove vídeos com treinos completos. Se quiser, pode até conjugá-los. Por exemplo: dez minutos corpo todo, mais dez minutos de abdominal. E repita o mantra: são só 15 minutos por dia para ser mais saudável e ativo.

De corpo inteiro, para queimar muitas calorias

Para tonificar os abdominais e fortalecer o core

Para as pernas e glúteos

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.