"Gyrotonic" ou "gyrokinesis" são duas palavras que podem ainda ser bastante desconhecidas para a maioria dos portugueses, mas a verdade é que esta prática já conquistou várias pessoas em todo o mundo. Madonna, Gwyneth Paltrow, Naomi Campbell e atletas de alta competição como Shaquille O'Neal ou Tiger Woods são alguns dos nomes que já se renderam à máquina que junta movimentos de natação, ginástica, ioga, dança e tai-chi.

Em Portugal, esta modalidade nasceu há cerca de duas décadas, mas são ainda poucos os sítios que proporcionam esta oferta de movimentos. Ainda assim, pessoas como Bernardo Gama têm vindo a trabalhar para que o Gyrotonic chegue a cada vez mais gente já que os benefícios destes exercícios, muitas vezes confundidos com pilates, são vários.

Bernardo Gama foi o grande pioneiro desta prática em Portugal e começou a devolvê-la com um objetivo muito específico: melhorar a qualidade de vida das pessoas. Atualmente treinador sénior da prática e instrutor de muitos especialistas, explica à MAGG que o Gyrotonic foi criado em 1985, em Nova Iorque, por Juliu Horvath, bailarino clássico, que após vários anos de treinos intensos viu-se confrontado com lesões que, à partida, pareciam irreversíveis. "Recolheu-se durante um período de tempo e desenvolveu um método e o equipamento que lhe permitisse voltar a dançar. Depois de vários anos de pesquisa, surgiu o método de Gyrotonic."

Começou a mexer-se depois do confinamento? Temos 16 dicas para retomar o exercício físico
Começou a mexer-se depois do confinamento? Temos 16 dicas para retomar o exercício físico
Ver artigo

Também Bernardo acabou por ser apresentado a esta modalidade por necessidade. "Dancei muitos anos no Ballet Gulbenkian. Sempre sofri de dores nas costas inerentes à profissão e não estava a ter muita qualidade de vida, até que descobri o método através de um colega. Fui para os Estados Unidos para fazer uma semana intensiva e senti-me tão bem que pensei logo que isto ia ser a minha transição de carreira", conta.

Bernardo Gama desenvolve a modalidade no Equilibrium, em Lisboa, e esclarece que o método do Gyrotonic tem uma individualidade muito própria — capaz de fazer uma abordagem dos movimentos que mais nenhuma prática consegue, ao mesmo tempo que tonifica o corpo. "Importa ainda esclarecer que não trabalhamos só o corpo físico, mas também o corpo energético. É um sistema de movimento que acorda e disponibiliza o corpo e a mente", aspetos que aponta como essenciais numa altura em que as pessoas  sofrem cada vez mais de ansiedade.

Amine Benderra, pioneiro desta prática no Norte, tornou-se instrutor e formador de Gyrotonic e Gyrokinesis após ser ensinado por Bernardo Gama. Na Rua Professor Mota Pinto, no Porto, gere o Instituto de Terapias do Lago — um espaço que oferece várias terapias e que tem uma história familiar de quase 30 anos.

Criado pelos pais, fisioterapeutas e osteopatas de profissão, este instituto recebeu a modalidade de Gyrotonic há 10 anos e Amine não podia deixar de referir a forma como tem mudado a vida dos alunos. À MAGG, explica que a grande diferença entre o Gyrotonic e o Gyrokinesis é que o primeiro é sempre praticado com o auxílio das máquinas milagrosas, enquanto que o segundo se foca mais em movimentos individuais.

Apesar do segundo dar uma maior liberdade, já que a pessoas não estão dependentes de um estúdio, Amine explica que a prática a título individual pode nem sempre ser a mais segura. "Hoje em dia temos aplicações online onde as pessoas podem praticar os exercícios sem qualquer custo e obviamente que isso tem uma coisa muito boa, que é um investimento pequeno, mas depois tem também um risco grande de podermos executar os exercícios menos bem. Por isso, aconselho sempre a pessoa a ser direcionada no início para aprender com alguém e depois poder começar a fazer o desmame e realizar o próprio exercício sozinho."

Exercício físico. Não sabe o que comer antes e após o treino? Estas dicas podem ajudar
Exercício físico. Não sabe o que comer antes e após o treino? Estas dicas podem ajudar
Ver artigo

Segundo Bernardo Gama, a base destes dois métodos assenta na respiração e quando aprendemos a respirar bem conseguimo-nos abstrair do stresse, promovendo "um olhar interno que, com a respiração consciente, aciona o sistema nervosa parassimpático".  "O Gyrotonic é um método que nos dá uma sensação de leveza e liberdade e que faz com que o corpo se mova de uma forma menos robótica e menos linear", acrescenta Amine.

Das crianças aos idosos, a modalidade dá para todos

Nas suas sessões, Bernardo já recebeu pessoas entre os 13 e os 90 anos: "crianças com escoliose cujo método é muito bom para a correção postural; miúdos do conservatório que querem potenciar as suas qualidades físicas e criativas; atletas de alta competição e ainda  advogados que estão o dia inteiro sentados e que precisam de se mexer", exemplifica. "É muito transversal porque o método pode ser adaptado a cada um. Cada pessoa tem a sua abordagem. E outra coisa muito importante é que o instrutor está sempre a dar assistência ao movimento", continua.

Normalmente as aulas são individuais, para que cada aluno possa ter o seu acompanhamento. No Instituto do Lago o mesmo acontece. Aqui, as aulas são, no máximo, para duas pessoas. "Trabalhamos tanto com pessoas de 30 anos que já têm grandes ou alguns problemas musculares, como com atletas que querem aprimorar o movimento e ainda pessoas de cadeira de rodas ou canadianas", explica Amine.

Segundo o responsável do espaço no Porto, este método é ainda muito associado a mulheres, mas os benefícios para os homens podem ser ainda maiores uma vez que o corpo acaba por se revelar mais rígido. "O que tentamos fazer é mesmo mostrar uma abordagem mais geral da vida e explicar que é importante sairmos da nossa zona de conforto. O que mais me fascina é que a pessoa após uma simples sessão começa a ganhar um maior conhecimento do seu corpo que depois pode aplicar no dia a dia em todas as tarefas." 

A verdade é que, apesar de ainda ser desconhecido para muitos, para quem o pratica, este método revela-se milagroso e não, não trabalha só flexibilidade. "Às vezes as pessoas têm esse preconceito. Trabalha muito alongamentos e flexibilidade, sim, mas também trabalha força e conexão. É um movimento holísticos que trabalha todas os músculos do corpo", remata Bernardo explicando que hoje em dia as pessoas gostam muito de coisas segmentadas e que ocupem menos tempo.

Se quiser experimentar esta modalidade, pode passar pelo Equilibrium, em Lisboa, ou pelo Instituto do Lago, no Porto. Ambos os espaços cumpre, todas as normas impostas pelo governo para garantir a segurança dos clientes. Amine convida ainda a realizar as aulas experimentais de Gyrokinesis e Gyrotonic que têm o valor de 25€.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.