Emma é mãe e criadora de conteúdos digitais. Ainda que os seus vídeos incidam sobre moda e lifestyle, como refere no seu Instagram, um dos aspetos da sua vida que mais aborda nas rede sociais é a maternidade – não fosse o seu nome "A Mother's Tale" [o conto de uma mãe, em português] no Tiktok.

Entre as várias lutas com as quais se tem confrontado no processo de ser mãe, a influenciadora publicou um vídeo da mais recente: a dificuldade que está a ter em fazer com que o seu filho de 2 anos deixe de ser amamentado. Em imagens publicadas no Tiktok vê-se o menino a puxar as roupas da mãe. "Regra número um, clube do desmame: nunca se sentem", brincou na descrição da publicação.

Ainda que as imagens tenham sido partilhadas com um propósito didático, a influenciadora diz que se deparou com uma onde de críticas ferozes das quais não estava à espera. "Estamos em 2022. Vamos educar-nos e normalizar a amamentação em tempo normal", explicou na legenda do vídeo que publicou em resposta aos comentários que recebeu.

Depois, Ema disse ter ficado chocada com o ódio. "Fiquei de queixo caído", revelou. Entre várias coisas, foi chamada de "nojenta" e disseram-lhe que tinha "sérios problemas", tendo chegado ao ponto em que um utilizador lhe mandou uma mensagem privada na qual insistia que a influenciadora deveria ser presa. Isto tudo porque "levou muito tempo para fazer o desmame" ao filho.

Emma explicou que, com os dois filhos mais velhos, parou de amamentar quando engravidou novamente. Desta vez a experiência está ser muito mais difícil, sendo que sabia que seria a sua última gravidez – logo, o processo seria completamente diferente das anteriores.

E quando a amamentação não é possível, que alternativas existem?
E quando a amamentação não é possível, que alternativas existem?
Ver artigo

No entanto, fez questão de explicar aos seguidores: “Podemos começar com o facto de que ele tem dois anos? Dois anos é a idade mínima até à qual a Organização Mundial de Saúde recomenda a amamentação. Na verdade, em certas culturas, amamenta-se [os bebés] até aos sete anos", esclareceu. “Se vocês têm problemas com o meu vídeo e estão a sexualizar o relacionamento entre uma mãe e uma criança de dois anos, não sou eu quem tem problemas”, concluiu.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.