Jussie Smollett, ator mais conhecido pela sua participação na série "Empire", mantém que não encenou um falso ataque racista e homofóbico em 2019. O caso está atualmente a ser julgado, e o artista norte-americano reforçou a sua inocência. "Não foi uma farsa", assumiu Jussie Smollett, referindo-se aos alegados acontecimentos de há dois anos, em Chicago, Estados Unidos, salienta a Lusa, tal como escreve o "Observador".

Acusado de encenar um ataque racista, Jussie Smollett é afastado de "Empire"
Acusado de encenar um ataque racista, Jussie Smollett é afastado de "Empire"
Ver artigo

O ator é acusado em tribunal de ter planeado o ataque de 29 de janeiro de 2019, pagando cerca de três mil euros (3.500 dólares) a dois irmãos de origem nigeriana. Durante o julgamento de Smollett, que começou na segunda-feira, 29 de novembro, os advogados do norte-americano de 39 anos salientaram que este foi agredido por dois homens motivados por dinheiro, um dos quais homofóbico, salienta a mesma publicação. Já o Procurador-Geral referiu que o ator queria avançar na carreira, tendo criticado os estúdios de produção de "Empire" por não reagirem após ter recebido uma carta com ameaças.

Durante o seu depoimento, Jussie Smollett explicou que a quantia de dinheiro era referente um programa de treino e nutrição elaborado por um dos irmãos, que havia tentado ser contratado como guarda-costas após a carta de ameaças, sem sucesso.

Já os alegados cúmplices da farsa, os irmãos Abimbola e Olabinjo Osundairo, reforçam que foram pagos para encenar o falso ataque. Ouvido em tribunal na semana passada, Abimbola Osundairo recorda que o ator "falava dos estúdios que não levavam a sério a carta de ameaças".

"Ele [Jussie Smollett] disse-me que queria que eu lhe batesse, e que deveria bater, mas não com muita força", pode ler-se no Observador. O nigeriano acrescentou ainda que concordou com a alegada farsa porque se sentia em dívida para com Smollett, depois de este ter intercedido por Abimbola para que conseguisse um pequeno papel em "Empire".

Já o irmão, Olabinjo Osundairo, referiu que o ator os informou em detalhe dos planos da alegada farsa, dando instruções específicas sobre os insultos proferidos.

O julgamento diz respeito à encenação de um ataque brutal de que Justin Smollett foi alegadamente vítima em janeiro de 2019. De acordo com o ator, dois homens tinham-no atacado em Chicago, Estados Unidos, tendo espancado Jussie Smollett, para além de lhe gritarem insultos racistas e homofóbicos, e de o terem deixado com uma corda ao pescoço antes de fugirem do suposto local do crime.

Mas à medida que as semanas foram passando, as suspeitas de que teria sido o próprio ator de "Empire" a encenar o ataque aumentaram e culminaram a 21 de fevereiro do mesmo ano, dia em que Jussie Smollett foi preso pela polícia de Chicago. Na época, o ator norte-americano entregou-se às autoridades para responder às acusações de falso testemunho.

Se for condenado, Smollett pode cumprir uma pena máxima de três anos de prisão.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.