Com simples mudanças é possível tomar medidas mais sustentáveis em casa, e começando pela roupa há várias formas de ajudar a salvar o planeta. As nozes de saponária para substituir o detergente podem ainda ser estranhas, mas o ciclo das lavagens é já um primeiro passo que não tem nada que saber.

E tudo pode resumir-se a fazer lavagens em ciclos mais curtos e frios. Esta é a conclusão de um estudo realizado pelos cientistas da Universidade de Leeds, que tentaram descobrir a melhor forma de lavar roupa sem que ficasse desbotada e sem que libertasse microfibras (pequenos fios presentes nas roupas que saem em cada lavagem).

E porquê é que é importante que as microfibras não se misturem com a água? A resposta é quase tão evidente como os microplásticos presentes na água, que de acordo com o último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) podem encontrar-se na água canalizada e engarrafada, cujos perigos estão relacionados com a ingestão, riscos químicos e perigos relacionados com a presença de bactérias aglomeradas.

No que diz respeito às microfibras, que contêm materiais como nylon, poliéster e acrílico, também poderão ser ingeridas por nós, mas antes disso passam pelos moluscos e plâncton, até chegar à cadeia alimentar dos seres humanos.

Com que frequência devemos lavar as calças de ganga?
Com que frequência devemos lavar as calças de ganga?
Ver artigo

Ora, a investigação, que fez testes em laboratório e baseou-se nas máquinas convencionais de vários consumidores, concluiu que: "As microfibras sintéticas são libertadas sempre que os têxteis são lavados e representam mais de um terço de todo o plástico que chega ao oceano", disse Richard Blackburn, autor do estudo e chefe do grupo de pesquisa de materiais sustentáveis ​​da universidade, no relatório da investigação.

Contudo, Blackburn afirma que as microfibras de algodão e outras fontes naturais são também preocupantes, dado que estão em maior quantidade no mar. Como travar? Fazendo ciclos curtos e mais frios, cuja vantagem não está apenas no impacto ambiental.

"É uma forma simples de todos fazerem as suas roupas durarem mais", refere Lucy Cotton, da Escola de Design da universidade, acrescentando que desta forma as roupas mantêm a cor, há uma menor probabilidade de desbotarem e mantêm durante mais tempo a suavidade — que normalmente é perdida ao fim de pelo menos cinco lavagens.

Há ainda uma vantagem notada pela organização Energy Saving Trust: lavar a roupa a 20ºC em vez de lavar a 40ºC, por exemplo, permite economizar cerca de 66% da energia usada por carga, o que não só poupa o ambiente, como a conta da luz ao final do mês. 

Os investigadores do estudo sugerem ainda que nestes ciclos curtos e frios sejam usados detergentes próprios para baixas temperaturas.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.