Kane Tanaka, a mulher mais velha do mundo, morreu aos 119 anos. A notícia da morte da japonesa centenária foi divulgada esta segunda-feira, 25 de abril, mas Tanaka morreu a 19 deste mês, na cidade de Fukuoka, onde morava, confirmaram as autoridades locais, tal com divulgado pela CNN Portugal.

O momento em que Cristiano Ronaldo esconde as garrafas de Coca Cola e diz preferir água
O momento em que Cristiano Ronaldo esconde as garrafas de Coca Cola e diz preferir água
Ver artigo

A japonesa, que tinha o sonho de chegar à marca dos 120 anos, nasceu a 2 de janeiro de 1903 na aldeia de Wajiro, atualmente integrada em Fukuoka, no Japão. Casou jovem, aos 19 anos, e geriu o restaurante da família, especializado em noodles, quando o marido foi combater na guerra do Pacífico.

Nos últimos anos, Kane Tanaka vivia num lar de idosos e tinha uma paixão por chocolates e refrigerantes, especialmente por Coca-Cola.

A japonesa, que morreu aos 119 anos, esteve quase a transportar a tocha olímpica dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, (adiados para 2021), mas o agravamento da pandemia da COVID-19 no país impediu que o momento se concretizasse, salienta também a CNN Portugal.

Kane Tanaka era reconhecida pelo Guinness World Record como a pessoa e mulher mais velha do mundo. Com a sua morte, a freira francesa Lucile Randon — mais conhecida como Irmã André — é agora a mulher mais velha do mundo aos 118 anos e 74 dias.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.