Um homem, detido na prisão de Fontcalent, em Alicante, declarou identificar-se como mulher, tendo pedido para ser transferido para a ala feminina. O pedido foi aceite e, ali, iniciou uma relação com outra presidiária, que acabou por engravidar.

Segundo o "El Mundo", a reclusa transgénero, de nacionalidade búlgara, é bastante conhecida naquela prisão, uma vez que é reincidente. Com vários antecedentes de roubos e delitos contra a saúde pública, já tinha estado encarcerada nesta unidade prisional várias vezes, sempre como homem e detida na ala masculina.

Nesta última detenção, porém, disse que queria iniciar o processo de mudança de género, que se identificava como mulher e pediu até para ser tratada por um nome feminino. A mudança para o pavilhão feminino aconteceu mas, quando a gravidez foi conhecida, os responsáveis da prisão decidiu que a presidiária transgénero deveria regressar à ala masculina. Quanto à mulher que engravidou, é de nacionalidade espanhola. Inicialmente queria interromper a gestação, tendo depois mudado de ideias. De acordo com uma fonte anónima, não está atualmente no estabelecimento prisional. "Não sabemos se efetuou o processo de mudança de género no registo civil".

Estes acontecimentos deram-se no início de 2023, antes da entrada em vigor da chamada Lei Trans em Espanha, que permite que qualquer pessoa mude de nome e sexo no registo civil a partir dos 16 anos sem que tenha de apresentar um comprovativo médico que indique que tem disforia de género.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.