O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta quarta-feira, 22 de junho, que o Governo vai prolongar durante mais três meses o apoio extraordinário ao cabaz alimentar que atribui 60€ mensais às famílias mais carenciadas. A medida é aplicada no contexto da inflação que afeta Portugal, situação agravada pelo impacto da guerra na Ucrânia, e vai abranger "cerca de um milhão de famílias", segundo o primeiro-ministro.

Que famílias são essas? Todas as que beneficiam da tarifa social de eletricidade (a quem se destinava exclusivamente no início do apoio) e aquelas em que pelo menos um dos membros do agregado familiar seja beneficiário de prestações sociais mínimas. 

Refeições escolares vão ser mais caras, mas Governo não aumentou os apoios
Refeições escolares vão ser mais caras, mas Governo não aumentou os apoios
Ver artigo

"São consideradas prestações sociais mínimas, para o efeito, o complemento solidário para idosos; o rendimento social de inserção; pensão social de invalidez do regime especial de proteção na invalidez; complemento da prestação social para a inclusão; a pensão social de velhice e subsídio social de desemprego", esclarece a Segurança Social (SS) sobre quem tem direito ao apoio de 60€.

Além destas situações, também recebem o apoio ao cabaz alimentar as famílias em que "uma das crianças seja titular de abono de família do 1.º ou 2.º escalão e em que o apuramento do rendimento de referência do agregado familiar corresponde a situações de pobreza extrema".

A medida ainda não foi aprovada, mas sê-lo-á esta quinta-feira, 23, pelo Conselho de Ministros, conforma anunciou António Costa no parlamento.

Tenho de pedir o apoio?

Não precisa de fazer nada. Se está entre uma das situações de quem tem direito aos 60€ (beneficia da tarifa social de eletricidade ou de prestações sociais mínimas), a atribuição do apoio é automática, pelo que não tem de fazer nenhum pedido.

Como recebo o dinheiro?

O pagamento é feito por transferência bancária ou através de vale postal. Se não tem os dados da conta bancária atualizados, deve fazê-lo para assim receber os 60€ por transferência bancária, o método "mais rápido e mais seguro", segundo a Segurança Social — vantagens numa altura de aperto.

Caso necessite de registar o IBAN, no caso de nunca o ter feito, basta entrar no portal da Segurança Social Direta, selecionar no menu a opção “Perfil” e depois “Conta bancária”.

Quando vou receber os 60€?

Para esta questão ainda não há resposta, mas se o processo for feito à semelhança do que aconteceu anteriormente desde que o apoio foi atribuído a 762.320 agregados familiares a 29 de abril e depois a mais 280 mil famílias no final de maio, no fim dos meses de junho, julho e agosto, as milhares de famílias vão receber os 60€.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.