Na madrugada de segunda-feira, 22 de agosto, "House of the Dragon" chegou ao catálogo da HBO Max em Portugal. Antes da estreia, no sábado, 20, o "The Guardian" publicou um artigo sobre os locais em que a série foi filmada. Entre muitas coisas, o jornal frisava que a produção antecessora da plataforma de streaming, "A Guerra dos Tronos", sempre foi conhecida por catapultar as regiões em que filmava, fazendo com que mais turistas as visitassem.

A série percorreu várias partes do mundo, entre elas Cornwall, Derbyshire e algumas regiões de Espanha e Portugal, transformando a indústria do turismo em que lugar fosse. O jornal britânico até destacou Monsanto, no município de Idanha-a-Nova, região Centro de Portugal – contudo, o comentário que aparecia no artigo era de um responsável pelo turismo da zona vizinha, ou seja, do Alentejo. E foi nesse contexto que António Lacerda, diretor executivo da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, proferiu afirmações que causaram alguma polémica.

“É uma tragédia”, lamentou António Lacerda a propósito dos fogos florestais que têm dizimado a Serra da Estrela. Além disso, o "The Guardian" também referia, erradamente, que Monsanto faria parte da mesma zona que a serra e que também teria sido afetada – embora estejam a mais de uma hora de distância.

Vi "House of the Dragon" sem saber patavina de "A Guerra dos Tronos". E foi complexo
Vi "House of the Dragon" sem saber patavina de "A Guerra dos Tronos". E foi complexo
Ver artigo

António Lacerda comentou ainda que “alguns locais não poderão receber visitantes até ao próximo ano”, acrescentando que, “além de Monsanto”, existem em Portugal outras “aldeias intemporais no topo de colinas, como Marvão e Monsaraz”. E foi este comentário que foi alvo de repúdio, esta segunda-feira, 22 de agosto, por parte da Centro de Portugal Film Commission (CPFC), organização cujo objetivo passa pela atração de produções de cinema e audiovisuais para a região centro do País.

Em comunicado, a CPCF salienta  que as declarações são "de lamentar", uma vez que "contrariam um princípio fundamental, que é o da solidariedade”. “Existem responsáveis na região Centro de Portugal, suficientemente capazes para esclarecer cabalmente, e sem lapsos, toda e qualquer questão referente aos assuntos da região Centro (…) sem que haja necessidade de recorrer a interlocutores de outras regiões”, esclarece a organização.

“O concelho de Idanha-a-Nova, e a Aldeia Histórica de Monsanto, não foram afetadas, felizmente, com os incêndios dos últimos dias na região da Serra da Estrela”, explicava ainda o comunicado, acrescentando que do artigo resulta uma “imagem negativa", que a CPFC tentou desmistificar.

As informações já foram retiradas do artigo e sujeitas a uma nota de correção. “A região sofreu incêndios este ano, mas Monsanto não foi afetada”, esclareceu a publicação britânica.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.