Há mais 11 mortes e 568 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta sexta-feira, 19 de março, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico.

Estes números surgem depois de o governo ter levantado a suspensão da vacina da AstraZeneca esta quinta-feira, 18 de março. O imunizante não estava a ser administrado aos portugueses depois de terem surgido casos adversos à toma da vacina em vários países da Europa, mas a Agência Europeia do Medicamento já anunciou que a vacina da AstraZeneca é "segura e eficaz".

Portugal retoma vacinação com AstraZeneca. Se recusar, vai para o fim da fila
Portugal retoma vacinação com AstraZeneca. Se recusar, vai para o fim da fila
Ver artigo

Com o levantamento da suspensão, o plano de vacinação nas escolas, que começa já no último fim de semana de março pela imunização de professores e não docentes, será retomado.

No entanto, Graça Freitas já apelou a que os portugueses não recusem a vacina da AstraZeneca. "Creio que é uma hipótese que as pessoas não deviam colocar. A recusa de uma vacina é recusar proteger-se contra uma doença grave. A alternativa é continuarem vulneráveis", disse a diretora-geral da Saúde, tal como escreve o "Observador".

Dado que a decisão da marca da vacina não cabe aos utentes, os profissionais de saúde deixam o alerta: se recusar a toma do imunizante da AstraZeneca, perde o direito à vacinação e vai para o fim da fila do processo.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.