Há mais 27 mortes e 2.447 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta segunda-feira, 26 de outubro, pela Direção-Geral da Saúde, no novo boletim epidemiológico.

Estes resultados são conhecidos no mesmo dia em que a DGS divulga a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2Um dos aspetos que o novo documento vem regulamentar diz respeito à utilização de testes rápidos de antigénio que devem ser usados em situação de surto em escolas ou lares para o "diagnóstico de COVID-19 em pessoas assintomáticas com contato de alto risco com caso confirmado COVID-19", pode ler-se.

As novas normas indicam ainda que estes testes servem para "rastreio regular (entre 7 e 14 dias) dos profissionais de saúde que prestam cuidados de saúde diretos e de maior risco de contágio". Já quanto aos testes laboratoriais, de acordo com a DGS, estes devem ser "ser prescritos e interpretados de acordo com uma finalidade clínica e de saúde pública", quer seja para diagnóstico ou rastreio de casos.

Ordem dos Médicos não está contente com SNS24. Em causa está "grave sobrecarga dos serviços"
Ordem dos Médicos não está contente com SNS24. Em causa está "grave sobrecarga dos serviços"
Ver artigo

Ainda esta segunda-feira, 26, foi revelado um estudo na revista Anesthesia and Analgesia, que indica que a aspirina, em quantidades reduzidas, pode ajudar a tratar quadros clínicos graves de infeção COVID-19.

A investigação teve como base 412 pacientes hospitalizados e desses, 23,7% tinham tomado aspirina sete dias antes de darem entrada no hospital ou 24 horas depois de serem admitidos. Ainda não é possível tirar conclusões concretas, mas o estudo é um indício de que este medicamento pode ajudar na recuperação da COVID-19.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.