Há mais 8 mortes e 2.323 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados este domingo, 11 de julho, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

O boletim é atualizado um dias depois de ter entrado em vigor a obrigatoriedade de apresentar um teste negativo à COVID-19 ou o certificado digital válido para poder consumir no interior dos restaurantes nos concelhos de risco elevado e muito elevado. Ao final do dia de sábado, 10, no entanto, o governo esclareceu que cafés e pastelarias estão isentos desta medida e podem, ainda assim, permanecer em funcionamento para lá das 15h30, até às 22h30 aos fins de semana.

Cafés e pastelarias não precisam de exigir teste ou certificado à entrada
Cafés e pastelarias não precisam de exigir teste ou certificado à entrada
Ver artigo

"Não é necessário a um cidadão, quando se desloca no final do almoço ou do jantar para tomar um café, mostrar um certificado ou teste negativo", explicou João Torres, secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor em declarações à agência Lusa, citada pelo "Diário de Notícias".

Apesar disso, João Torres ressalvou que, "sabendo que, em Portugal, existem muitos estabelecimentos similares que podem servir refeições, as regras poderão aplicar-se". No entanto, mantém-se a isenção de apresentação de certificado digital ou teste negativo para consumo nas esplanadas, pagamento no interior ou uso das casas de banho dos estabelecimentos. Nestes casos, o uso da máscara é obrigatório.

Também este domingo, 11, Graça Freitas explicou que das quase três milhões de pessoas com as duas doses da vacina já tomadas em Portugal, apenas 0,1% foi infetada com o vírus. "Foram identificados, num total de 2.984.095 pessoas com esquema vacinal completo, e passados 14 dias sobre a segunda dose, um pequeno número de 3.580 que, mesmo assim, adoeceram", referiu em entrevista ao "Jornal de Notícias" e à TSF.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.